Nas Bancas

Fadi Fawaz fora da investigação à morte de George Michael

Namorado do cantor já não é considerado suspeito.

CARAS
5 de fevereiro de 2017, 13:08

A morte prematura de George Michael a 25 de dezembro de 2016, aos 56 anos, deixa dúvidas às autoridades, o que explica o facto de ainda não ter sido liberado o corpo para que a família possa organizar as cerimónias fúnebres. O companheiro do artista, Fadi Fawaz era uma das pessoas a ser consideradas na investigação, uma vez que foi ele a encontrá-lo já sem vida na cama. Mas agora o cabeleireiro de celebridades pode respirar de alívio por não ter de voltar a depor. “Estamos contentes por poder dizer que não há quaisquer suspeitas”, adiantou um porta-voz da polícia britânica ao Mail on Sunday.
Recorde-se que Fadi Fawaz, de 40 anos, tinha comentado, há algumas semanas, a atuação das autoridades no caso: “A polícia tem sido fantástica. Têm-nos apoiado. Fizeram o que têm de fazer quando alguém morre. Não me acusaram nunca, respeitaram-me sempre”.
A investigação continua, uma vez que os primeiros resultados da autópsia foram inconclusivos.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras