Nas Bancas

Andreia Dinis: “Ter crescido não me fez deixar de apreciar a magia desta época”

De férias desde outubro, altura em que terminou as gravações de uma série da RTP que ainda não estreou, a atriz tem aproveitado para estar mais tempo com a filha, Flor, de seis anos. A chegada do Natal tem proporcionado mais programas para fazerem juntas.

Andreia Cardinali
25 de dezembro de 2016, 12:00

Apaixonada pelo Natal, Andreia Dinis aproveita todos os momentos para transportar a filha, Flor, de seis anos, para o ambiente mágico da quadra, pelo que aproveitou para visitar com ela a Aldeia de Natal do Almada Fórum. Juntas, mãe e filha entregaram a carta ao Pai Natal, passearam no comboio juntamente com os duendes e deixaram-se contagiar pelas cores e sons típicos desta época. Prestes a celebrar 20 anos de vida em comum com Daniel Teixeira, e apesar das saudades que sente da mãe, que morreu há cinco anos, Andreia vive dias felizes.
– Gosta desta época?
Andreia Dinis – Adoro e confesso que o facto de ter crescido não me fez deixar de apreciar a magia desta época. Gosto muito de dezembro, altura em que faço anos e parece que neste mês as pessoas sorriem mais, têm outro espírito. E claro que a partir do momento em que fui mãe, maior importância comecei a dar. O brilho no olho dela nesta altura é qualquer coisa que me deixa sem palavras...
– A Flor trouxe então mais magia a esta quadra...
Claro. Quando há crianças – e agora temos várias na família – há toda uma euforia relacionada com o Pai Natal. Temos sempre um calendário do Advento e a Flor passa o tempo a perguntar quando pode começar a abrir as janelinhas.
– É habitual fazer este género de programas com ela?
Todos os anos. Moramos aqui, na Margem Sul, e damos sempre uma volta aqui no Almada Fórum para visitar a aldeia do Pai Natal e fazer compras. Ela ainda acredita no Pai Natal e fica mesmo imbuída deste espírito. É tão bom ser criança, poder sonhar e acreditar na magia!
– Consegue fugir ao consumismo?
Consigo. Ela não costuma pedir muita coisa, mas claro que fica deslumbrada com os anúncios que vê na televisão. Já eu, é mais difícil, porque compro presentes para toda a gente... Acho que na noite sabe sempre bem receber um miminho. De qualquer das formas, com a Flor tenho sempre alguns cuidados... escolhemos brinquedos que ela tenha em casa e possa dar e estou sempre a fazê-la ver, das mais diversas formas, que nem todas as pessoas têm a mesma sorte na vida.
– Já sabe onde vai ser passado este Natal?
Em minha casa, como habitual. Todos fazemos tudo, já que juntamos a minha família e a do Daniel. Vamos todos para a cozinha, a minha sogra, a minha irmã... é maravilhoso.
– Nesta altura as saudades da sua mãe apertam?
Claro. O último trimestre do ano é sempre muito agridoce porque apanha o aniversário da Flor, o meu, o da minha mãe, a data da sua morte e todas as festividades. Faz agora cinco anos que ela partiu, mas não deixa de me doer, muito. Continua a ter um lugar muito presente nas nossas vidas.
– É alguém de quem fala muito à Flor?
Claro, todos os dias. A Flor não tem memória da avó, mas vê vídeos, fotografias e todos os dias falamos na vovó.
– Nesta fase, a relação com a Flor deve ser mais próxima...
Somos muito companheiras e já conversamos sobre muita coisa. Ela está muito crescida, expressa bem as suas opiniões.
– Não dá vontade de ter outro filho?
É um misto de emoções. Se por um lado esta é a altura perfeita, por outro, um bebé dá muito trabalho e seria um regressar a tudo: fraldas, noites mal dormidas... Provavelmente a Flor será filha única. A partir do momento em que tens um filho queres dar-lhe o melhor e com outro teria tudo de ser mais ponderado... É pouco provável que aconteça. E o Daniel concorda, diz que agora é tudo muito mais divertido. Agora dá para fazermos imensa coisa os três.
– Este ano celebra 20 anos de vida em comum com o Daniel.
É um marco. Nós somos mais casados do que a maioria dos casados [risos]. Tem sido uma vida de partilha, de crescimento, de descoberta, tem sido mesmo muito bom. Estava longe de imaginar quando o conheci, na faculdade, que seria para sempre e que ele seria o amor da minha vida.
– Para terminar, tem planos profissionais?
Vai estrear em breve uma série que estive a gravar para a RTP, chamada Mistério do Tempo. Já se fala numa segunda temporada, mas irá depender da aceitação do público. Foram meses intensos de trabalho, vamos ver.
– Isso quer dizer que tem estado de férias?
Sim, calhou na altura perfeita. Entrei de férias poucos dias antes do aniversário da Flor, a 30 de outubro, e tenho aproveitado ao máximo todas estas festividades de aniversários e agora do Natal. Está a ser ótimo.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras