Nas Bancas

Pedro Norton retrata ‘Tabacaria’ de Pessoa

CARAS
22 de dezembro de 2016, 13:29

Pedro Norton diz que é “forrado a nostalgia”. Talvez por isso, armou-se de uma das suas paixões, a máquina fotográfica, e foi para a rua retratar Lisboa em imagens a preto e branco que remetem para o universo de Tabacaria, de Álvaro de Campos, um dos heterónimos de Fernando Pessoa. Manuel S. Fonseca, da Guerra e Paz, percebeu isso mesmo e decidiu reunir poema e fotos numa edição de 1500 exemplares. Rara, pois não será reeditada.
“A Tabacaria é um poema da não-existência, um poema em que se fundem o real e o irreal. É um poema do desespero, do fracasso. Nesta história que é do Pessoa, que é do Manuel, eu sou só o rapaz dos bonecos. Levo muito a sério tudo o que faço na vida, mas vou tendo o senso de não me levar muito a sério”, explicou Pedro Norton no dia da apresentação, na Casa Fernando Pessoa, onde teve a aplaudi-lo a mulher, Inês Vaz Pinto, e os filhos, Tomás, de 15 anos, e Manuel, de nove. “A Inês é a única pessoa do mundo que verdadeiramente conhece o meu ‘real por dentro’”, assumiu ainda. Inês, por seu turno, não escondeu o orgulho que tem no marido: “É mais um sonho que o Pedro realiza, pôr a sua alma em fotografias e partilhá-las. Enche-me o coração.”
“Muito mais do que um livro, é uma obra de arte”, sublinhou o jornalista Henrique Monteiro, que apresentou esta Tabacaria.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras