Nas Bancas

Eduardo Beauté e Luís Borges estão oficialmente divorciados

Após cinco anos de união.

CARAS
6 de dezembro de 2016, 17:56

Cerca de três meses após terem anunciado com o seu casamento de cinco anos tinha chegado ao fim, Eduardo Beauté e Luís Borges estão oficialmente divorciados. O cabeleireiro publicou um comunicado nas redes sociais a confirmar a notícia.
“Amigos/as, seguidores/as e fãs,

Hoje foi mais um dia marcante da minha vida. Encerrei um capítulo no qual vivi alguns momentos muito felizes, embora, não pudesse ter evitado alguns desencontros de interesses e feitios que impediram a continuação do meu casamento com o Luís. Assim, esta manhã formalizámos o nosso divórcio. Não termina a família, eu e os meus ‘ficha tripla’ [os filhos, Bernardo, de seis anos, Lurdes, de quatro, e Eduardo, de um] seremos sempre ‘A FAMILIA’ como tantas outras onde os pais seguem destinos e interesses diferentes. O meu destino é manter o meu projeto de vida, que desde muito jovem sempre ambicionei e onde as maiores prioridades continuaram a ser os meus filhos e a minha vida profissional. Sem nunca esquecer a minha restante família que tanto amo, bem como os meus grandes amigos.

Ao Luís, desejo-lhe os maiores sucessos pessoais e profissionais. Que a Nossa Senhora de Fátima, de quem sempre fomos devotos, continue a iluminar os nossos caminhos mesmo que diferentes.

Não posso deixar de vos agradecer por todo o carinho e apoio que em todos estes momentos tenho recebido de vós de inúmeras formas. Posso-vos garantir que estou bem, e continuar decidido a ser feliz!

Muito obrigado,

Bem haja!!!”, escreveu Eduardo Beauté.
Mais tarde, o cabeleireiro voltou a recorrer ao Facebook para desejar “o melhor” ao ex-marido: “O amor paternal é para mim, desde que o descobri, das mais apaixonantes e enriquecedoras experiências que vivenciei e vivencio.

É por isso que não entendo (embora intimamente adivinhasse) a renúncia da assunção de deveres e obrigações de quem os deveria ter em relação àquilo que para mim se tornou o mais importante da vida: os filhos!

Divórcio entre dois seres que chegaram ao fim da linha, não deveria constituir desamor e indiferença pelos filhos, da parte de nenhum dos ex-cônjuges em causa. Não querer contribuir para o sustento, desenvolvimento, e felicidade de quem assumimos como filhos, tornando-nos em pais fantasmas e renunciando a parentalidade, é revelador do caráter de quem o faz.

Eu, por mim, darei a minha vida pelas vidas que a vida pôs em minhas mãos!

Assim, cumprirei a honrosa missão de ser pai!

Da nossa parte, resta-nos, em função do desinteresse mostrado, desejar-te o melhor que a vida te possa dar!”.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras