Nas Bancas

Bruno de Carvalho indignado: “Deixem de ser cobardes e ataquem-me a mim”

O presidente do Sporting anunciou o fim do casamento com a mulher, Cláudia, esta quinta-feira, dia 3.

CARAS
4 de novembro de 2016, 17:29

A notícia da separação de Cláudia e Bruno de Carvalho foi tornada pública ontem e, desde então, tem feito correr muita tinta na imprensa nacional. Por esse motivo, o presidente do Sporting escreveu um longo texto na sua página do Facebook, onde mostra a sua indignação perante as notícias do fim do casamento, bem como alguns comentários publicados por utilizadores nas redes sociais.
Existem momentos na vida que servem para nos mostrar se a nossa percepção sobre o que nos rodeia é falsa ou verdadeira.
Infelizmente este é mais um daqueles momentos que prova que vivemos numa sociedade que perdeu os seus valores, os seus princípios e a sua vergonha.
Desde ontem que se denota o nível baixo a que chegou a nossa sociedade. Comentários do mais reles que é possível imaginar, graçolas sem piada, insinuações infantis, mentiras nojentas. E tudo isto sobre uma situação privada e que afecta, para além de 2 adultos e suas famílias, duas crianças.
Isto não são condutas dignas de seres humanos mas sim de vermes que, por o serem, conspurcam tudo à sua volta.
Devem existir barreiras na vida que devem ser mantidas. Limites que nos diferenciam dos animais irracionais. Mas cada vez mais eles estão a desaparecer.
Este novo mundo onde qualquer idiota pode escrever e ser lido (redes sociais) e onde alguma comunicação social confunde o direito de informação e de opinião com o ser portador de ruído público, fazendo-o sem qualquer pudor ou sentido de consciência cívica, é assustador.
Procuraram a notícia, não obtiveram da nossa parte qualquer resistência em assumir algo que só a nós diz respeito e que nos faz estar a passar um período difícil que deveria ser por todos respeitado. Nem mesmo este assumir, para que fosse cumprido o tal "dever" de informar, fez algumas pessoas pararem e entenderem que podem pensar ter o mundo na ponta dos dedos, quer na internet, quer em jornais e revistas, mas no final do dia também têm família e nunca sabem o dia de amanhã. Quando queremos fazer graçolas ou dar notícias bombásticas também nos tornamos "figuras públicas" e, pelos vistos, a partir daí vale tudo. É que a vida tem sempre esta forma de equilíbrio, acabamos todos por provar do nosso próprio veneno e por sofrer as consequências da falta de princípios e valores porque nos regemos.
É pena que Einstein tenha sido tão visionário quando disse que infinito era o Universo e a estupidez humana.
Da nossa parte manteremos o direito à nossa privacidade e defesa pessoal e, sobretudo, das nossas filhas.
Quanto à notícia de hoje que envolve mais uma família, mais uma criança, é mais uma prova de que estamos perdidos enquanto sociedade.
Para que fique como memória futura e aviso, não é difícil para nós perceber qual foi a fonte e quem passou este "rumor". Por vezes, quando somos corridos de um lado e vamos parar ao oposto, achamos que temos direito a tudo e que estamos protegidos de ser descobertos. O pior é que essa "fonte" já tinha sido afastada por ser fértil em "rumores" e, por "coincidência", até pela sua função, tinha acesso a gravações de AG's como, por exemplo, aquela que foi exibida numa TV do mesmo grupo do jornal onde saiu esta notícia. Fica apenas esta pequena nota pois, por vezes, queremos tanto fazer mal a alguém que ficamos completamente expostos, como é o caso desta "fonte".
Queremos apimentar as notícias, queremos vender mais, e para alguma comunicação social tudo é passível de ser feito. Já lá vai o tempo que isto me criava um sentimento de revolta. Neste momento apenas sinto pena. Pena destas pessoas que tanto querem espezinhar tudo e todos que acabam por passar uma vida oca, vazia, onde quem os rodeia, mesmo que não o demonstrem, se envergonha deles.
Da nossa parte apenas fica a nota e o registo do mundo sem escrúpulos nem valores em que infelizmente vivemos e que é aquele em que as nossas filhas têm de crescer.
A nível pessoal deixo um desafio a todos: deixem de ser cobardes e ataquem-me a mim. Eu cá estarei pois foi esta a vida que escolhi. Mas tenham o mínimo dos mínimos de decência deixando de fora famílias, crianças e terceiros que vêem o seu nome devassado sem terem feito nada para o merecer.”
Recorde-se que Cláudia e Bruno de Carvalho, de 32 e 44 anos, respetivamente, estavam juntos há nove anos e casados há cinco. O ex-casal tem uma filha em comum, Diana, de um ano e oito meses.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras