Nas Bancas

Jim Carrey processado pela mãe da ex-namorada

Cathriona White foi encontrada morta em setembro do ano passado após tomar uma dose excessiva de medicamentos que terá obtido através do ator.

CARAS
12 de outubro de 2016, 11:01

Tinham terminado a relação há cerca de uma semana quando Cathriona White, de 30 anos, foi encontrada morta em casa, mas Jim Carrey, de 54, ficou destroçado com a perda e mostrou-se muito atento à família da jovem durante as cerimónias fúnebres. Mas o que parecia ser uma relação amigável transformou-se numa batalha judicial, pois Brigid Sweetman, mãe da maquilhadora, decidiu processar o ator, acusando-o de ter responsabilidades na morte da filha, uma vez que esta morreu na sequência de uma overdose de medicamentos que obteve através da estrela de Hollywood. “Como família, queremos que o mundo saiba a verdade acerca da verdadeira personalidade de Jim Carrey: um homem que infetou a nossa filha com três doenças sexualmente transmissíveis; mentiu sobre o assunto; chamou-lhe coisas terríveis e fê-la passar por mentirosa; usou o seu estatuto para tentar enganá-la, a ela e a toda a família; e ainda lhe deu drogas ilegais. Ele deveria ter vergonha por ter usado o facto de ser famoso para descredibilizar o Mark [Burton, ex-marido de Cathriona White que também pôs um processo contra o ator, alegando precisamente que foi responsável pela morte da jovem] na esperança de ninguém o responsabilizar pelo que fez”, pode ler-se nos documentos apresentados por Brigid Sweetman no Tribunal Superior de Los Angeles. A mãe de Cathriona alega ainda que Jim Carrey “sabia perfeitamente” que os medicamentos eram altamente viciantes, propensos a causar depressão e que a sua filha estava proibida de tomar tais substâncias sem vigilância médica, uma vez que já tinha tentado suicidar-se anteriormente. “Os seus atos tiveram o efeito esperado e previsível, a minha filha morreu de overdose no dia 24 de setembro de 2015”, atenta.
O representante legal do ator, Martin D. Singer, enviou o seguinte comunicado à revista People a defender o seu cliente de todas as acusações: “É compreensível que uma mãe que perdeu uma filha procure um culpado. Mas direcionar a sua revolta para Jim Carrey e juntar-se a um processo que procura responsáveis pelo suicídio de Cathriona White, como é o caso do ex-marido desta, Mark Burton, é entrar no mesmo delírio deste homem”.
Recorde-se que, há cerca de um mês, Jim Carrey já tinha emitido outro comunicado sobre esta situação. “Não tolerarei esta tentativa de me explorarem, a mim ou à mulher que amei. Os problemas de Cat surgiram muito antes de nos conhecermos e infelizmente o seu fim trágico estava fora do controlo de todos nós. Espero mesmo que em breve as pessoas deixem de tentar aproveitar-se disto e a deixem descansar em paz”, afirmou o artista, que já tinha esclarecido anteriormente que os medicamentos foram levados pela maquilhadora de sua casa sem o seu consentimento.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras