Nas Bancas

Apesar de debilitado, Mário Soares assiste a homenagem a Maria Barroso

Maria Barroso, que morreu em julho do ano passado, foi homenageada por ocasião dos 50 anos do Hospital da Cruz Vermelha Portuguesa, instituição a que presidiu durante seis anos. Na cerimónia estiveram presentes familiares, amigos e admiradores da antiga primeira-dama, entre eles Mário Soares, com quem partilhou 66 anos de vida.

Cláudia Alegria
29 de julho de 2016, 10:50

“Só penso no passado para ver o que não fiz. Gosto de me projetar no futuro”, lê-se numa grande placa branca descerrada no passado dia 28 à entrada do Hospital da Cruz Vermelha Portuguesa, em Lisboa. A frase é de Maria Barroso, que foi homenageada por ocasião das comemorações dos 50 anos daquela unidade de saúde, numa cerimónia que reuniu familiares e muitas personalidades da vida pública nacional. Entre eles, naturalmente, contava-se o viúvo da falecida atriz, professora e ativista política, Mário Soares.
O antigo Presidente da Re­pública, que em dezembro completará 92 anos de idade, está bastante debilitado fisicamente, tendo precisado da ajuda da filha, Isabel, para se deslocar até à sua cadeira. Atento aos discursos que evocaram a mulher com quem partilhou 66 anos de vida, Soares fez questão de se levantar para abraçar Marcelo Rebelo de Sousa, que usou da palavra para enaltecer a forma como a antiga primeira-dama se dedicou à Cruz Vermelha e às muitas outras causas que abraçou.
É uma homenagem muito justa. Todos nós pudemos testemunhar a forma abnegada, dedicada, entusiástica e incansável como a Dra. Maria Barroso assumiu esta missão, entre muitas outras missões, da Cruz Vermelha. Esta frase é um retrato da pessoa e da forma como viveu o seu empenhamento social e comunitário”, afirmou o atual Presidente da República, lembrando Maria Barroso, que morreu a 7 de julho de 2015, como “uma otimista determinada, sonhadora, uma humanista, mas também uma fazedora. Por onde passou deixou um traço que foi mais do que empatia. Foi um traço de humanidade. Quem pôde conviver com ela recorda um gesto, uma palavra, um aconchego, uma ajuda, que são um retrato de vida”, lembrou Marcelo, que concluiu o seu discurso frisando: “Portugal agradece esse testemunho de vida e não o esquece aqui na Cruz Vermelha Portuguesa e não o esquece em qualquer dos vários domínios da sua atividade.”
Após a cerimónia, e depois de ter sido cumprimentado pelas diversas personalidades presentes, Mário Soares já estava dentro do carro com a filha quando recebeu os beijos carinhosos dos netos mais novos, Jonas, de 13 anos, e Lilah, de nove, filhos de João Soares e Annick Burhenne.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras