Nas Bancas

Paula Marcelo destroçada após a morte do marido, Camilo de Oliveira

A união de Paula Marcelo e Camilo de Oliveira tinha 30 anos, boa parte dos quais acompanhados pela CARAS, que fez várias entrevistas aos dois.

CARAS
14 de julho de 2016, 16:57

Camilo de Oliveira nunca escondeu a sua paixão por mulheres e foi já perto dos 60 anos que conheceu o amor da sua vida, Paula Marcelo, com quem viveu mais de 30 anos. A atriz acompanhou de perto a doença do ator, que morreu no passado sábado, dia 2, aos 91 anos, na sequência de uma luta contra dois cancros, um na próstata e outro no intestino. Destroçada, dois dias depois Paula confessou à CARAS que se sentia perdida e que não sabia ainda que rumo dar à sua vida: “Estes primeiros dias sem o Camilo nem os sei explicar... Quando perdi a minha avó, que era o amor da minha vida, tive o meu luto com a minha família em paz. Aqui não é o caso. Tive paz ontem, porque fiquei sedada. Mas o telefone não para e ainda nem percebi como vou lidar com tudo. Ainda nem caí em mim. Nem sequer vejo televisão... Falei agora com a Júlia Pinheiro em direto, mas tenho tido a televisão desligada e agora que ouvi a voz dele... [chora]. Há sete meses que isso não acontecia. Ele não perdeu a voz, mas falava muito baixo e pausadamente e voltar a ouvir a vitalidade da voz dele... Estou destroçada. Foram 30 anos juntos... [chora]. Não sei o que estou a sentir, não consigo explicar.” Arrasada, Paula precisa agora de fazer o luto, antes de regressar á sua rotina de vida.
Também muito sentida com a morte de Camilo está Io Appolloni, mãe do filho mais velho do ator, Camilo Humberto. A atriz nunca escondeu que os sete anos que viveu com Camilo de Oliveira foram bastante conturbados, mas garante que no final foi a amizade que perdurou. “O Camilo foi o meu primeiro companheiro e pai do meu primeiro filho. Vivi com ele sete anos, um bocado turbulentos, mas ficámos amigos para sempre”, contou-nos por telefone enquanto recordava a última vez que o viu: “Na sexta-feira quis ver o Camilo uma última vez e o nosso filho sugeriu que eu não fosse ao hospital porque poderia ficar chocada, já que ele piorou muito nas últimas semanas. Fui na mesma e foi trágico. Ele não me ouviu, gritei-lhe o meu nome e não reagiu. Abracei-o! Como estava a planear ir para o Algarve, perguntei ao meu filho se deveria manter o plano e ele disse que sim. No dia seguinte, estava a caminho de casa quando o meu filho ligou a dizer para eu não ir para o Algarve. Foi a forma que ele encontrou de me dizer que o pai tinha morrido. Dou graças a Deus por ter um filho tão sensível, que teve a capacidade de me proteger. Ele esteve todos os dias junto do pai, foi incansável.” No final, Io fez questão de deixar umas palavras de conforto a Paula Marcelo: “Tenho de deixar-lhe um grande abraço muito solidário. Ela foi incansável todos estes meses junto do Camilo. Merece todo o carinho e respeito.”

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras