Nas Bancas

Carla Bruni: “Se o meu marido me traísse cortava-lhe o pescoço”

A cantora é casada com o antigo presidente francês Nicolas Sarkozy desde 2008.

CARAS
30 de junho de 2016, 18:02

Quando questionada sobre as bases essenciais para o funcionamento de uma relação, Carla Bruni não tem dúvidas: a confiança e a fidelidade. Numa entrevista para a revista Elle, a antiga primeira-dama de França admitiu que seria capaz de cometer uma loucura se soubesse que estava a ser traída pelo marido, Nicolas Sarkozy. “Se eu soubesse que estava a ser enganada pelo meu marido não aceitaria, reagiria muito mal, isso é certo. Poderia mesmo ser capaz de cometer uma atrocidade, como cortar-lhe o pescoço ou as orelhas enquanto ele dormia, por exemplo”, começa por dizer em tom de brincadeira. “Acredito sinceramente que é essencial ser fiel aos nossos companheiros, o contrário é um jogo perigoso. Acaba quase sempre por levar ao fim da relação. Além disso, para mim, a fidelidade é essencial num casamento”, acrescenta.
Nesta ocasião, a cantora deixou ainda claro que o seu casamento com Sarkozy “está bem e recomenda-se” e que pode até ser definido como uma “novela romântica”. “Com o meu marido descobri algo que nunca pensei que poderia acontecer-me: amor à primeira vista, como nos filmes. Transformei-me numa mulher tranquila, algo que nunca imaginei ser”, refere ainda Carla Bruni.
O antigo casal presidencial francês tem uma filha em comum, Giulia, de quatro anos.

Palavras-chave

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras