Nas Bancas

Rui Veloso recorda Prince: "Era um músico perfeito, sem ser de uma perfeição gélida"

O músico norte-americano morreu esta quinta-feira, 21 de abril, aos 57 anos.

Lusa / CARAS
22 de abril de 2016, 00:13

Prince, que morreu esta quinta-feira aos 57 anos, "era um músico perfeito, sem ser de uma perfeição gélida, mas do coração", e "muito intuitivo", disse à agência Lusa Rui Veloso, que o toma como um exemplo.
"O Prince era um músico perfeito, tudo aquilo era perfeição, mas uma perfeição sem ser gélida, era uma perfeição com o coração, ele era uma muito, muito intuitivo e com um 'feeling' absolutamente extraordinário, que lhe vinha certamente da grande música negra, de que ele é um dos maiores representantes de sempre", afirmou. "Prince era um músico absolutamente irrepreensível, foi sempre para mim um exemplo", acrescentou ainda.
O artista português deixou também uma mensagem no Facebook a recordar o intérprete de Purple Rain: "Dia muito triste.. um dos meus ídolos absolutos, um dos maiores e mais completos artistas dos séculos 20 e 21, compositor, multi-instrumentista, cantor, visionário, esteta, Prince foi um génio da música. Uma tristeza grande. Ouçam-no e inspirem-se. Tive o prazer de o ter uma tarde no meu estúdio. Vou sempre recordar esse dia".

Palavras-chave

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras