Nas Bancas

Carriço.jpg

DR

Boas companhias: Ricardo Carriço e Rush

Um pastor alemão que tinha sido abandonado.

CARAS
27 de março de 2016, 19:00

Ricardo Carriço andava à procura de um cão quando viu no Facebook uma fotografia de um pastor alemão que tinha sido abandonado. “Achei-o lindíssimo. Tinha sido acolhido por uma família, mas daí a uns dias iria ser entregue a um canil e provavelmente seria abatido”, conta o ator, que conduziu até Santa Maria da Feira para o ir buscar. “Foi paixão absoluta. Ele estava preso a uma corrente numa casota, porque a família tinha outro macho, e tinha um cheiro nauseabundo. Assim que cheguei a Cascais, levei-o a uma veterinária e, quando de lá saí, fiquei com a sensação de que o cão não iria durar um dia: estava muito deprimido, assustado, escondia-se de tudo...”, recorda Ricardo, enganando-se no que toca à duração da companhia de Rush: “Está comigo há três anos. Acho que os animais nos ficam eternamente agradecidos. Desde então, é a minha sombra, não me larga um minuto. É um companheirão.”

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras