Nas Bancas

Giorgio Armani vai deixar de usar peles de animais nas suas coleções

Em causa estão as críticas de ativistas pelos direitos dos animais.

CARAS
24 de março de 2016, 14:18

Giorgio Armani está preocupado com as "críticas das associações de proteção do ambiente e dos animais" e oficializou a decisão da sua marca deixar de utilizar peles verdadeiras. O criador italiano cedeu à longa pressão dos ambientalistas e defensores dos animais e garantiu que as novas tecnologias existentes no mercado fazem com que o "uso de práticas cruéis para os animais seja desnecessário".
A partir da coleção outono/inverno 2016, todo o grupo Armani passará a seguir esta nova medida, incluindo a linha de decoração da marca. A Humane Society Internacional elogia a opção e considera que a mensagem é "provavelmente, a mais poderosa até agora" contra os maus tratos aos animais, vinda do mundo da moda.
Recorde-se que várias marcas famosas a nível internacional, como Calvin Klein, Hugo Boss, Tommy Hilfinger e Ralph Lauren já tinham assegurado que só usavam pelos e peles sintéticos.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras