Nas Bancas

Fátima Lopes: “Vivo para isto, não há nada melhor do que desfilar em Paris”

Fátima Lopes apresentou uma coleção sensual à qual chamou “Cultura Rapsódia”. Para o próximo outono/inverno, a criadora aposta em decotes profundos e saias curtas.

CARAS
24 de março de 2016, 17:07

Com uma voz que deixa transparecer a felicidade, Fátima Lopes lembra-nos que o seu amor por Paris dura há mais de 17 anos. Este 35.º desfile, de novo integrado no calendário da Semana de Moda de Paris, realizou-se nas instalações de uma gráfica do século XVII, hoje edifício histórico, que os franceses conhecem como Le Laboratoire. Na passerelle surgiram roupas e sapatos integral­mente fabricados em Portugal que trouxeram de voltam a sensualidade tão característica da estilista. “A inspiração da coleção foi a versatilidade, uma coleção muito sofisticada, elegante e sensual. Foi um regresso às raízes sem significar um regresso ao passado. A sensualidade está de volta mas mais sofisticada”, conta Fátima Lopes à CARAS. “É uma coleção dirigida a uma mulher moderna que sabe aliar o espírito de alta costura a um lado mais casual.”
Com uma sala cheia, a estilista foi aplaudida perante a imprensa internacional, que no dia seguinte destacava o seu regresso a um registo mais sensual. “Quando pisei a passerelle, no final do desfile, senti uma felicidade total. Estar aqui completamente independente, tal como comecei, dá-me uma satisfação muito grande. Vivo para isto. Profissionalmente, não há nada melhor do que desfilar em Paris.”

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras