Nas Bancas

Sam Smith sobre a atuação nos Óscares: “Foi o pior momento da minha vida”

Para além da ‘gaffe’ sobre alegadamente ser o primeiro homossexual assumido a ser galardoado pela Academia, o cantor britânico admitiu não ter gostado da sua atuação.

CARAS
1 de março de 2016, 16:46

Sam Smith foi galardoado com o Óscar de Melhor Canção Original pelo tema Writing's on the Wall, da banda sonora de 007:Spectre, o último filme de James Bond. Até aqui nenhuma novidade. Mas apesar de ter sido um dos vencedores da noite, nem tudo correu bem para o cantor britânico.
Em entrevista à BBC, sobre a sua atuação que denotou algum nervosismo, o artista admitiu: "Foi o pior momento da minha vida". "A atuação foi horrível, odiei cada minuto", acrescentou Smith. Numa mensagem que deixou no Twitter, o cantor disse ainda que nunca se tinha sentido tão nervoso em toda a sua vida.
Mas este acabaria por não ser o único momento constrangedor da noite. Depois da atuação e de vencer a tão cobiçada estatueta dourada, Sam Smith dedicou o prémio à comunidade LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transexuais), afirmando que era o primeiro homem assumidamente gay a ganhar o galardão. Também aqui se enganou, uma vez que muitos outros já venceram, como por exemplo, Dustin Lance Black que recebeu o prémio de Melhor Argumento Original com o filme Milk, protagonizado por Sean Penn.
Esta não foi a primeira vez que as atuações ao vivo têm traído artistas britânicos. Em fevereiro deste ano, quando cantava All I Asked na cerimónia dos Grammy, Adele teve dificuldades técnicas e foi duramente criticada nas redes sociais.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras