Nas Bancas

Tratamentos de Schumacher custam mais de 10 milhões de euros por ano

O antigo piloto sofreu um acidente enquanto esquiava em dezembro de 2013.

CARAS
12 de fevereiro de 2016, 15:02

Uma semana depois do antigo presidente da Ferrari, Luca di Montezemolo, ter vindo a público dizer que “as notícias [sobre a saúde de Michael Schumacher] não são boas”, a imprensa inglesa revela que a fortuna do ex-piloto está a ser gasta em tratamentos. Schumi está em casa, na Suíça, a lutar pela vida e tem à sua disposição uma equipa médica permanente - que inclui enfermeiros e fisioterapeutas - para lhe proporcionar todos os tratamentos que precisa. Um luxo que não está acessível a qualquer pessoa, já que os custos da recuperação ascendem os 190 mil euros por semana, ou seja, mais de 10 milhões de euros por ano.
Recorde-se que, depois do acidente que remonta a dezembro de 2013, Michael Schumacher esteve em coma induzido para que lhe fossem retirados dois coágulos de sangue do cérebro. Permaneceu seis meses no hospital de Grenoble, França, e em junho de 2014 foi transferido para uma clínica especializada na Suíça, tendo a imprensa internacional adiantado que já não se encontrava em coma. No final desse mesmo ano, o ex-piloto recebeu alta e passou a ser acompanhado em casa.o No passado mês de setembro surgiram notícias que davam conta do estado debilitado do campeão de Fórmula 1, que pesaria apenas 45 quilos, mas a sua mulher, Corinna, não quis comentar, adiantando apenas que o marido comunicava através do olhar.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras