Nas Bancas

Hassanal Bolkiah

Hassanal Bolkiah

Getty Images

Sultão do Bornéu proíbe Natal

Todos os muçulmanos que comemorarem esta data arriscam-se a cinco anos de prisão.

CARAS
22 de dezembro de 2015, 16:40

Hassanal Bolkiah, sultão do Bornéu, decidiu que este ano todos os que festejarem o Natal no seu país poderão ser condenados a uma pena de cinco anos de prisão. De acordo com o jornal Borneo Bulletin, o sultão – que também é primeiro-ministro, ministro da Defesa, ministro das Finanças e comandante das Forças Armadas – proibiu os muçulmanos da ilha (cerca de 65% dos 420 mil habitantes) de celebrar a época natalícia, por esta estar ligada ao nascimento de Cristo. Os imames (pregadores do culto islâmico) do país não só aceitam esta imposição como a defendem. “Durante as festas da época natalícia, os muçulmanos que seguem as tradições cristãs e que utilizam símbolos como a cruz, velas acesas, árvores de Natal, cânticos religiosos, e que enviam cartões de boas festas, orações, ou usam outras decorações típicas estão a agir contra a fé islâmica”, garantem.
Já no ano passado as autoridades religiosas do país tinham obrigado muçulmanos e não muçulmanos a retirar todas as decorações alusivas ao Natal nos estabelecimentos comerciais de parte da ilha. Agora, o que Hassanal Bolkiah considera um delito é punível com pena de prisão.
Resta saber se o sultão também aplicará esta lei em todas as suas propriedades já que é um dos homens mais ricos do planeta e tem negócios – nomeadamente hotéis – por todo o mundo.

Palavras-chave

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras