Nas Bancas

Eterna sedução feminina celebrada com as cores natalícias

Onze senhoras reuniram-se num tradicional 'Chá das 5'.

Marta Mesquita
12 de dezembro de 2015, 18:00

Há tradições que não se devem perder e o chá das cinco é uma delas, pelo menos na opinião das dez senhoras que a designer de joias Ana Calheiros convidou para desfrutarem de uma tarde de convívio e posarem para o seu postal de Natal. A combinar com o requinte do Hotel Palácio Estoril, Maria José Galvão de Sousa, Joelle dos Santos, Paula Bollinger, Bibá Pitta, Eva Lima, Cláudia Jacques, Maria Pinto, Zulmira Ferreira, Inês Simões, Sissi Prata e a anfitriã desta reunião social elegeram toilettes com duas características em comum: a cor encarnada e a elegância. O tom que domina estas fotos não foi escolhido ao acaso: além de ser uma das cores que mais sobressai nas decorações natalícias, Abel Dias, que criou toda a ambiência para este chá, quis realçar a “eterna sedução feminina através do vermelho da paixão”, como explicou à CARAS.
Querendo que cada uma das suas convidadas expressasse o seu gosto e individualidade, Ana Calheiros disponibilizou várias joias da sua coleção de inverno para dar ainda mais glamour e sofisticação ao visual escolhido por cada senhora. “A ideia deste encontro foi reabilitar a importância dos chás de Natal. Tenho pena que esta tradição esteja um pouco perdida. À volta de uma mesa de chá há também muita partilha, porque falamos das nossas vidas e das nossas emoções. E nesta altura do ano, em que os valores da amizade e da família estão muito presentes, ainda faz mais sentido. Para trazer mais diversão a esta tarde, cada senhora vai representar um mês do ano, sendo o Pai Natal o 12.º elemento”, explicou Ana Calheiros.
Sendo Natal ou não, para Bibá Pitta a família é o que rege toda a sua vida. Contudo, nesta altura do ano, até porque as suas filhas, Maria e Madalena comemoram os respetivos aniversários em dezembro, Bibá faz ainda mais questão de celebrar a “dádiva da vida”, mesmo não esquecendo as grandes perdas pelas quais já passou, como confidenciou: “A minha mãe morreu há quase dois anos e foi a maior dor da minha vida. Contudo, tenho o seu legado e não me deixo cair. Em vez de chorar, ponho em prática tudo o que a minha mãe me ensinou. A lei da vida é irmos perdendo as pessoas que amamos... Quando a minha mãe morreu, deixei de ouvir o nome ‘avó’. Neste momento, em que a Maria se prepara para ser mãe, a avó já está novamente em casa, mas desta vez sou eu que assumo o papel. A minha filha e o meu genro estão a viver connosco, porque quero tê-los perto. Faço questão de mostrar às pessoas que gosto delas e de lhes dar mimo. Sou muito agradecida pela minha família e por tudo.”
Também Sissi Prata não tem dúvidas em partilhar o que realmente é importante na sua vida, seja no Natal como nos restantes dias do ano: “O nascimento do Martim mudou completamente a minha vida. O meu filho preen­che-me de uma maneira única. Por isso, o meu desejo para o ano que se avizinha é que conti­nuemos juntos e que possa ser tão feliz como tenho sido até hoje.”
Não obstante o valor que todas as convidadas dão aos afetos e aos momentos passados em família, tão privilegiados nesta altura do ano, neste encontro feminino também se partilharam conversas sobre elegância, sedução e bom gosto. Questionada sobre o que torna uma mulher sedutora – que foi, aliás, o mote para este encontro –, Maria José Galvão de Sousa assegurou: “A sedução tem muito a ver com o facto de estarmos bem connosco próprias, o que acaba por transpa­recer na nossa aparência. É mais uma forma de estar do que de mostrar mais pernas ou ter um decote maior. O que cativa os outros é a nossa forma de estar na vida. Penso que há muita sensualidade nisso. Claro que aquilo que vestimos também é importante. Por isso é que tento acompanhar as tendências, que adapto à minha forma de estar. Não sou muito ousada e opto sempre por aquilo que é seguro.”
Na época natalícia, muitas mulheres escolhem cuidadosamente as toilettes que vão usar nas festas familiares. Mais exuberantes ou mais clássicas, Eva Lima não tem dúvidas em apontar qual é o visual ideal para estes dias felizes: “Sou uma profissional da área da moda, mas com tudo o que está a aconte­cer no mundo isso não é uma prioridade. Penso que se todos nós pintarmos o nosso coração ainda mais de vermelho, todas as pessoas vão estar bem vestidas na Consoada e no Dia de Natal. Eu própria, que adoro um certo glamour, espero que nestas festas se dê mais importância à felicidade, ao amor e à esperança.”

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras