Nas Bancas

Chá solidário proporciona tarde divertida no convento

“É uma causa nobre, séria e à qual as pessoas se entregam com devoção e força. É uma causa para a vida.” (Irmã Ana Maria)

CARAS
5 de dezembro de 2015, 18:00

Quem passeia pelo Príncipe Real e começa a descer a Rua de O Século, pode nem se aperceber da existência do Convento dos Cardaes, um monumento pré-pombalino do século XVII que alberga um importante acervo de arte sacra. Contudo, e não obstante o valor histórico e artístico dos azulejos holandeses que decoram a igreja ou a beleza dos painéis que emolduram o Coro Alto, o ‘coração’ deste convento é a Associação Nossa Senhora Consoladora dos Aflitos, que acolhe pessoas cegas e com multideficiências graves, que estão ao cuidado das irmãs dominicanas. Para arranjar fundos que ajudem a suportar esta obra social, a Associação organiza nesta altura do ano o Chá e Venda de Natal. Durante os próximos fins de semana e até 20 de dezembro, qualquer pessoa poderá desfrutar de uma tarde passada à volta de uma mesa de chá, tendo como cenário a ambiência conventual e comprar algumas das iguarias que tornam famosa a cozinha deste convento, nomeadamente o vinagre balsâmico, o doce de cebola, o lemon curd ou a compota de tomate.
Para promover estas ações solidárias, várias caras conhecidas iniciaram os seus festejos natalícios com um tradicional chá das cinco num dos claustros do convento. Por uma tarde, as senhoras deixaram a dieta de lado e desfrutaram de scones com doce e manteiga e de bolos que fazem jus à doçaria conventual. A receber as convidadas estava a irmã Ana Maria Vieira, que dedica a sua vida a ajudar as mais de 30 meninas e senhoras que são apoiadas pela Associação. Apesar da sua aparência franzina, todos ficam impressionados com a sua genica e dinamismo, sempre acompanhados por um sorriso aberto. “É uma causa nobre, séria e à qual as pessoas se entregam com devoção e força. É uma causa para a vida. Trabalho aqui no convento há 40 anos e é bom ver a obra a crescer, o trabalho dos voluntários e o espírito de família que aqui se gera. As pessoas que cá estão não têm uma data para saírem... Somos uma casa de família. Penso que o que faz a diferença é mesmo este caráter familiar, porque estamos aqui em permanência com as pessoas que acolhemos. Somos nós que lhes damos o último beijo da noite e o primeiro do dia e isto é ser família”, explicou a irmã à CARAS.
Foi precisamente através de um Chá de Natal que Mónica Balsemão conheceu esta obra, há dois anos. Desde então, a diretora de marketing e produção de eventos da Impresa tem acompanhado de perto e de forma entu­siasta o trabalho que a Associação desenvolve. “Fui cativada pela energia que a irmã Ana Maria põe nesta causa e pelo carinho com que o faz. Desde a primeira vez que cá vim senti uma energia muito especial. Quem vem cá uma vez volta de certeza, porque não conseguimos deixar de o fazer”, explicou Mónica, que foi a mentora deste chá com figuras públicas.
Momentos antes do início deste chá, Sofia Carvalho teve direito a uma visita guiada que lhe permitiu ficar a conhecer de forma mais pormenorizada esta obra. “É uma causa muito meritória, daí estarmos a divulgar estas ações para apoiar a Associação. Estamos num sítio lindíssimo que é uma pérola no meio da cidade. Espero que as pessoas aproveitem estes chás e a venda de Natal para conhecer o trabalho da Associação e o próprio convento”, partilhou a diretora da SIC Mulher.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras