Nas Bancas

O refúgio de Liliana Campos e Rodrigo Herédia

A apresentadora do canal SIC CARAS e o e ex-surfista, ambos de 44 anos, receberam-nos no Eco-Beach Resort Santa Bárbara, em São Miguel, nos Açores, por ocasião de mais uma edição do Seat Surf Trip.

Cláudia Alegria
7 de novembro de 2015, 14:00

O brilho no olhar e o orgulho com que falam um do outro não deixam margem para dúvidas: Liliana Campos e Rodrigo Herédia continuam apaixonados. Juntos há três anos e oito meses, o empresário e a apresentadora falaram com a CARAS sobre planos e projetos comuns, tendo como pano de fundo o cenário idílico da praia de Santa Bárbara, onde Rodrigo Herédia concretizou o sonho de erguer um eco-resort na ilha pela qual se apaixonou há cerca de 35 anos, e onde recebeu um grupo de caras conhecidas para mais uma edição do Seat Surf Trip.
– Calculo que seja um prazer receber este grupo de convidados numa ilha que mexe com as suas emoções?
Rodrigo Herédia –
Gosto de partilhar com as pessoas a paixão que tenho pelos Açores e poder mostrar a beleza de São Miguel, as lagoas, o verde da vegetação e o azul do mar, e sentir, quando olho para as caras delas, que ficam com vontade de regressar.
– Uma paixão que tem tentado transmitir também aos seus filhos? [Miguel, de dez anos, e Maria, de oito]
Eles adoram cá estar. O Mi­guel agora faz surf, gostam de ir à pesca comigo, e têm criado uma ligação fortíssima com os Açores. É muito giro vê-los fazer as mesmas coisas que fiz em pequeno com o meu pai.
– O seu pai esteve cá de passagem?
Sim, esteve como comandante na Base das Lages, na ilha Terceira. Todos os finais de tarde íamos à caça, à pesca, fazíamos sempre programas no mar e em contacto com a natureza. Vivi cá três anos, de 1978 a 1981. Depois passei a vir sozinho, quando comecei a fazer surf, e o ‘bichinho’ dos Açores ficou até hoje.
– Ao ponto de fazer este investimento no resort. Imagina-se a viver aqui quando for mais velho?
Imagino sim, mas ainda não chegou a altura. Gosto de me entusiasmar com projetos novos, e nem todos serão aqui na ilha, depois, tenho a educação dos meus filhos, a escola e o dia-a-dia deles, a Liliana também ainda está a trabalhar... Quando ela se reformar – porque eu vou reformar-me mais cedo – a decisão de vir para cá já será mais simples.
Liliana Campos – Tem graça porque o Rodrigo nunca me perguntou se eu queria namorar com ele mas sim se me imaginava a envelhecer nos Açores ao lado dele [risos]. Eu disse-lhe que sim, até porque das primeiras viagens que fizemos juntos foi precisamente aos Açores e, nessa altura, percebi logo que me queria mostrar tudo para me apaixonar por esta ilha. Apesar de eu ser uma pessoa muito mais cosmopolita do que ele – a minha vida ainda se faz toda em Lisboa – não sou daquelas pessoas que se imaginam a viver o resto da vida no meio daquela confusão. E pensar que vais passar a tua velhice neste paraíso acho que é estimulante para qualquer pessoa...
– Estão juntos há quase quatro anos e continuam a entender-se muito bem, felizes e apaixonados...
Ainda continuamos muito apaixonados um pelo outro e com muita vontade de partilhar as coisas boas, de estar presentes nas coisas más também.
– Se se tivessem cruzado noutra fase das vossas vidas talvez não tivesse resultado tão bem...
Eu também acho isso. Já conversámos várias vezes sobre isso. Nós já nos conhecemos há 20 anos e ele diz-me muitas vezes que já poderíamos ter começado a namorar há muito tempo. Eu digo-lhe que não aconteceu an­tes porque não tinha que acontecer. Tinha que ser agora, em que temos outra disponibilidade mental, devido à idade, também, e depois de ambos termos vivido outras experiências. Com as vidas agitadas que tivemos, com viagens pelo mundo inteiro devido às nossas profissões, se calhar as coisas não teriam funcionado. Tenho a certeza de que nos encontrámos na altura certa. Nem antes nem depois.
– Ter filhos faz parte dos vossos planos?
Liliana –
A experiência de ser mãe é única, todas as mulheres o dizem, e eu sempre disse que gostava de ser mãe. Infelizmente não aconteceu. Se acontecer, será muito bom e ficarei muito feliz. Se não acontecer, sou feliz na mesma. A idade também avança e, como o Rodrigo diz, ter um filho agora implicaria uma grande mudança nas nossas vidas. Teria de ser um passo muito bem pensado e a verdade é que não tem sido um assunto entre nós.
Rodrigo – Estamos com uma relação ótima, aproveitamos imenso o tempo que passamos juntos e, nesta fase, acho que estamos muito bem os dois. Mas não é um assunto que esteja posto de lado.
– E casarem-se?
Neste momento estamos lindamente assim. Mas sim, pensamos um dia em casar-nos. Adorava ver a Liliana a entrar na igreja de vestido de noiva!

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras