Nas Bancas

0.jpg

D.R.

Morreu a realizadora belga Chantal Akerman

Aos 65 anos.

CARAS
7 de outubro de 2015, 09:07

O produtor francês Patrick Quinet anunciou esta terça-feira, dia 6, a morte da realizadora belga Chantal Akerman, de 65 anos, em Paris. Não foram adiantadas as causas da morte, mas a agência France Press refere que a cineasta “sofria de perturbações maníaco-depressivas” e vários meios de comunicação franceses avançam com a tese de suicídio.
Chantal Akerman deixa “uma obra incandescente, pioneira e nómada”, segundo o jornal Le Monde, da qual fazem parte os filmes A Cativa, Jeanne Dielman, 23, quai du commerce, 1080 Bruxelles e Os Encontros de Anna, entre muitos outros. O seu trabalho ficou marcado pelo experimentalismo, pelo cruzamento entre a ficção e o documentário, e por questões relacionadas com a memória, a condição feminina e a religião.
A obra da cineasta esteve em retrospetiva em 2012 na Cinemateca, no âmbito do DocLisboa, e este ano o festival estreará o seu mais recente filme, o documentário No Home Movie, que retrata uma mãe que sobreviveu ao Holocausto. No certame será ainda exibido I Don't belong anywhere - Le cinéma de Chantal Akerman, um filme de Marianne Lambert sobre a realizadora belga.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras