Nas Bancas

As imagens da lua-de-mel paradisíaca de Sara Esteves Cardoso e João Campos

A relações-públicas e o músico ficaram rendidos à ilha da Boa Vista, em Cabo Verde.

Marta Mesquita
17 de setembro de 2015, 17:30

Quando se aterra na Boa Vista, no arquipélago de Cabo Verde, o ar quente e seco de África invade os sentidos, dando as boas-vindas a quem chega. Mal se espreita o horizonte, a paisagem árida, pintada de castanho e creme, impressiona pela imensidão. As dunas, que se perdem para lá do que a vista alcança, fundem-se com o mar de um azul temperamental, ora profundo e escuro, ora turquesa e transparente, consoante o tom do céu. Foi este o cenário da lua-de-mel de Sara Esteves Cardoso, de 34 anos, e João Campos, de 42, que se casaram no dia 20 de junho numa cerimónia emotiva e muito genuína, como sempre sonharam. Nestes dias passados na terra da morabeza, palavra que define o ‘espírito’ de Cabo Verde e que significa “afabilidade, amabilidade”, Sara e João deixaram-se acolher por estas paisagens paradisíacas e pelas suas gentes, transformando a sua lua-de-mel numa experiência inesquecível.
– Espera-se sempre que a lua-de-mel seja uma viagem única e maravilhosa. A vossa esteve à altura das expectativas?
Sara Esteves Cardoso
– Sim, foi mesmo uma lua-de-mel incrível! O hotel era magnífico, Cabo Verde é paradisíaco e estávamos a precisar de um tempo só para os dois. Foi a primeira vez que deixámos o Vicente [filho do casal, que completa dois anos em setembro] por mais de dois dias, o que também nos custou, mas aproveitámos muito bem. Foi muito bom podermos desfrutar de dias só para namorarmos, sem horários.
João Campos – E o Vicente ficou bem! Foi muito mais difícil para nós [risos]! Mas valeu a pena, foi uma viagem inesquecível. O sítio é extraordinário e os cabo-verdianos são muito acolhedores. Foi ótimo termos uma semana para descansar e namorar. Fizemos muita praia, o que também foi maravilhoso.
Sara – E quando regressámos o Vicente correu para os nossos braços e depois esteve a dormir connosco durante uma semana. Estava cheio de saudades!
– O que mais vos marcou nesta viagem?
Sara
– Já tinha estado na ilha do Sal, mas foi a primeira vez que estive na Boa Vista. E rendi-me àquelas praias desertas, de areia branca e água quente. E tudo isto com boa música à mistura.
João – Concordo com a Sara. Aquelas praias e a água quente são maravilhosas. Mas o que mais me marcou nesta viagem foi a energia dos cabo-verdianos. É um povo incrível. Adorei!
– Ambos já explicaram o quão importante foi terem estes dias só para os dois. No dia-a-dia, com todas as tarefas que têm de desempenhar enquanto pais e profissionais, têm deixado os momentos de casal para segundo plano?
Sara – Nem sequer pensamos nisso. Sempre nos demos muito bem. Fomos apenas dois durante pouco tempo, por isso, para nós, é muito natural estarmos sempre com o Vicente. Mas conseguimos aproveitar bem o tempo que temos disponível, seja para namorar ou para conversar.
João – Quando se tem filhos há um reajustamento das prioridades. O que tentamos é aproveitar bem todo o tempo que temos para nós. Não sentimos a urgência de estarmos os dois, porque sabemos que agora o Vicente ainda precisa muito de nós. É uma fase.
Sara – Não há nenhuma fórmula de sucesso. Quando temos filhos, a dinâmica da relação muda e o casal tem de estar preparado para isso. Se houver amor, compreensão e diálogo, conseguimos gerir tudo. Claro que depois de sermos pais há coisas às quais passamos a dar muita importância, como uma boa noite de sono, algum tempo para nós…
João – Por isso é que seria importante fazermos uma lua-de-mel por ano [risos]!
– Casaram-se há dois meses. Agora que já passou algum tempo, o que mais vos marcou nesse dia que planearam ao pormenor?
– O dia do casamento parece que ainda nem acabou, porque os nossos convidados continuam a partilhar fotos e a falar sobre isso. Até nos exigiram que nos casássemos uma vez por ano para fazermos uma festa igual àquela! Foi um dia muito especial e a energia que lá se viveu permanece.
Sara – Acho que 20 de junho será sempre uma data para ser celebrada. O nosso amor é partilhado, não é egoísta. Gostamos de ver os que estão à nossa volta felizes. No dia do nosso casamento, tivemos as pessoas que nos são mais queridas ao nosso lado e isso foi o mais especial.
João – E admito que ainda vemos as fotos e o vídeo do casamento duas vezes por dia...
– Hoje há algum pudor em falar de amor, o que não é o vosso caso, porque sempre demonstraram e partilharam o que sentem um pelo outro…
Sara
– Estamos numa época em que as pessoas são mais egoísadtas e estão muito viradas para dentro. Hoje tudo é instantâneo. Sentir e partilhar são as coisas mais importantes na vida! O nosso caminho, enquanto seres humanos, passa por amarmos e sermos amados. Sinto que com o João fiquei uma Sara mais apurada, mais autêntica. Nós não usamos máscaras, somos genuínos. Vivemos uma relação muito verdadeira, em que a base é mesmo o amor.
– O Vicente vai fazer dois anos. Já sentem vontade de ter mais filhos?
– O João já tem muita vontade de ter outro, mas eu acho que o meu tempo ainda deve ser todo do Vicente. Claro que se acontecesse, como foi o caso do Vicente, seria bem vindo, mas preferia esperar mais um bocadinho.
Agradecemos a colaboração de: Hotel Iberostar Club Boa Vista

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras