Nas Bancas

Júlio Quaresma surpreende amigos com ‘Banquetes Improváveis’ em Cascais

“É preciso fazer alguma coisa que surpreenda as pessoas.” (J. Quaresma)

CARAS
13 de julho de 2015, 17:30

Júlio Quaresma reuniu os amigos no Centro Cultural de Cascais na inauguração da sua surpreendente exposição de arte Banquetes Improváveis, onde ‘sentou à mesa’ 41 atores da vida civil e política portuguesa e estrangeira, onde ele próprio se inclui. “É preciso fazer alguma coisa que surpreenda as pessoas, que seja um fator de sedução, e foi o que fiz aqui. As pessoas que aqui estão estão felizes, identificam-se, e não há ninguém aqui dentro que não esteja surpreendido. Numa altura em que Cascais celebra os seus 650 anos de história, nada mais interessante do que fazer alguma coisa festiva, mas com alguma ironia, subtileza, alguma sátira, porque eu não sou propriamente um pintor que represente naturalisticamente as coisas. Há que ter outra componente e essa outra componente é transformar tudo em improvável, as pessoas são improváveis, as próprias imagens são retiradas de películas, são frames de filmes famosos que me influenciaram pelo exagero em que o banquete decorre”, explicou o artista.
Neste banquete, Júlio Qua­resma incluiu amigos e conhecidos, que foram surpreendidos pelo resultado, como foi o caso do presidente da Câmara de Cascais, Carlos Carreiras, retratado ao lado de Jorge Jesus e Paula Rêgo: “Confesso que já sabia que o Júlio me tinha feito esta partida. De facto, este foi um encontro improvável que ocorreu aqui em Cascais há uns meses, onde tive o prazer de assistir a uma conversa entre dois génios do desporto e da cultura, em que nada batia certo durante a conversa, mas no fim fazia todo o sentido. E o Júlio quis relembrar este momento simpático.”

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras