Nas Bancas

GettyImages-162134430.jpg

Getty Images

María de Villota dá nome a pavilhão desportivo

A piloto morreu há um ano e meio.

CARAS
5 de junho de 2015, 18:06

Foi inaugurado em Butarque, Madrid, um centro desportivo cujo nome foi escolhido em homenagem a María de Villota, a piloto que morreu em outubro de 2013, um ano e meio depois de sofrer um grave acidente. “Não poderíamos escolher um nome melhor do que o de María de Villota. Como ela própria dizia no seu livro, a vida é um presente”, afirmou Ana Botella, responsável pela inauguração do pavilhão, referindo-se à autobiografia da piloto, publicada três dias depois da sua morte.
Recorde-se que no dia 2 de julho de 2012, no aeródromo de Duxford, durante uma sessão de testes a um carro de Fórmula 1, a piloto espanhola María de Villota, de 32 anos, (filha do ex-piloto de F1 Emilio de Villota), sofreu um acidente que a deixou entre a vida e a morte. Um ano depois, terminou um livro em que falava da sua experiência e da forma como o acidente, no qual perdeu um olho, a fez encarar a vida de outra forma. As sequelas, infelizmente, foram inultrapassáveis, e a espanhola acabaria por morrer a 11 de outubro de 2013, quando já fazia uma vida razoavelmente normal e três meses depois de se ter casado com Rodrigo García Millán.

 

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras