Nas Bancas

Ana Rita Clara: “É uma bênção viver um casamento tão feliz”

Estar apaixonada pela minha família e pelo meu casamento funciona como combustível para conseguir fazer tudo o resto.”

CARAS
24 de maio de 2015, 10:00

Ana Rita Clara é uma mulher apaixonada, que vive um permanente frenesim criativo. Esta será, talvez, uma das melhores maneiras de definir a apresentadora da SIC Mulher, que para ser feliz precisa de estar envolvida em vários projetos, aos quais se entrega de corpo e alma. A par do seu trabalho como apresentadora e atriz, dois papéis que continuam a desafiá-la, Ana concretizou recentemente dois projetos: criou a plataforma de empreendedorismo Change It e o blogue Ana 272, iniciativas com as quais quer inspirar os outros.
Se a paixão e o entusiasmo marcam esta fase profissional, o mesmo acontece na vida pessoal. Casada há oito meses com o médico dentista Hugo Madeira, Ana tem a certeza absoluta de que encontrou “a minha pessoa”, não se inibindo de partilhar nas redes sociais fotos apaixonadas e de fazer verdadeiras declarações de amor ao marido, ao lado de quem sonha vir a ser mãe.
Tendo como cenário Miami, onde celebrou o seu 36.º aniversário e lançou o blogue, a apresentadora, atriz, produtora e blogger conversou com a CARAS sobre o que a inspira a ser uma mulher cada vez mais feliz.
– Começou os 36 anos da melhor manei­ra: lançou um projeto durante uma viagem a Miami ao lado do seu marido...
Ana Rita Clara – Foi, de facto, um momento muito feliz, porque consegui concretizar várias coisas. Acredito que a vida é para ser celebrada e sempre adorei comemorar o meu aniversário, porque tem implícito esta ideia de renascer. E foi com esta viagem fantástica que lancei o meu blogue, Ana 272, que faz alusão, precisamente, à data do meu aniversário, 27 de fevereiro. Este blogue é um convite para descobrirem o meu universo.
– E que universo é esse?
– Quero que as pessoas conheçam, de uma forma mais próxima, todas as minhas realidades, uma vez que me mexo em tantas áreas, como a tele­visão, a escrita, a representação, o Change It, as causas com as quais me relaciono, a moda, as viagens, a saúde e o bem-estar... Senti que era importante agregar tudo na mesma plataforma. Vão ver uma Ana genuína e com opinião.
– Há muitas figuras públicas a criarem o seu próprio blogue. Não tem medo de ser encarada como mais uma blogger?
– Nunca me imaginei como blogger e acho que este projeto vai muito além dessa realidade. Sou a minha maior crítica e procuro sempre, mais do que o perfeccionismo, a transparência e a qualidade. Tento que todos os meus projetos reflitam a minha forma de estar no mundo.
– Outro projeto que lançou recentemen­te tem que ver com o empreendedorismo, a plataforma Change It. O que é que a atraiu nesta área?
– Sou uma alma criativa, enérgica e com uma necessidade de estar sempre a criar projetos. Há um ano, mais ou menos, aliado às minhas concretizações mais pessoais, como o casamento e a perspetiva de construir a minha própria família, comecei a questionar uma série de coisas e a pensar que seria o momento de mudar e de instigar a mudança. Sou uma apaixonada por alimentar as pessoas, ajudá-las a serem mais, porque é isso que também aumenta a minha chama. E foi assim que senti que deveria ser um elo de ligação entre os que procuram mudar e os que já mudaram, os changers, com quem estou todos os dias. Tudo começou com encontros criativos, ao pequeno-almoço, numa perspetiva muito laboratorial e já somos uma comunidade com mais de 800 pessoas. Penso que é um projeto com potencial e gostava que crescesse para além destes encontros criativos. Quero que esta seja uma plataforma de inovação, criatividade e mudança.
– E como é que se organiza no meio de tantos projetos?
– Só sei viver desta maneira. Só assim me sinto viva e o meu marido já se habituou à minha maneira de ser. Aliás, o meu empreendedorismo é uma das coisas que o apaixona! Ele também é um empreendedor.
– Mas todas essas áreas são muito imprevisíveis... Não precisa de sentir alguma estabilidade, ter um porto seguro?
– Tenho tentado encontrar o equilíbrio dentro de mim, daí defender que temos de nos sentir bem de dentro para fora. Temos de saber o que nos faz felizes e quais são os nossos limites. Tenho como prioridade os tempos em família, o desporto e as viagens. E no meio de tanta coisa, tenho regras. Sou uma pessoa organizada, mas com leveza, porque não gosto de muitas imposições. Encontro a minha es­tabilidade no amor e na paixão por aquilo que faço. Estar apaixonada pela minha família e pelo meu casamento funciona como o meu combustível para conseguir fazer tudo o resto.
– E falando de mudança, o seu mari­do também lhe trouxe novas emoções e sonhos...
– Sim e posso dizer que me sinto a viver uma felicidade constante. Sou uma apaixonada pelo meu marido, é uma bênção viver um casamento tão feliz, sobretudo porque encontro na nossa relação o espaço para ser quem sou e procurar a minha própria felicidade. Estou encantada com a ideia de construir uma família.
– Já quer ser mãe?
– Não sinto que já tenha chegado o momento. Ter filhos ainda não é a nossa prioridade, mas se acontecer, ficamos muito felizes. Até porque quando acontecer quero aproveitar ao máximo.
– De alguma maneira tem treinado para a maternidade com a filha do seu marido, a Benedita, de seis anos. Como é a vossa relação?
– É maravilhosa. Tenho a sorte de a Benedita ser uma criança inspiradora. É muito doce e tem uma sensibilidade muito própria. É bom conhecer uma criança aos dois anos de idade e acompanhar de perto o seu desenvolvimento. E percebi que há definitivamente um lugar para a maternidade na minha vida.
– Partilha muitas fotografias em que a Ana e o Hugo se mostram apaixonados. Tem medo que essa paixão esmoreça?
– Não! Estou sempre a fazer-lhe declarações de amor e não sei como se pode viver com alguém de outra forma. A paixão não desa­parece, até porque continuamos a alimentá-la. Complementamo-nos em todos os sentidos. E sendo uma mulher empreendedora, valorizo muito ter ao meu lado alguém que me apoie e me leve ainda mais para a frente, e que me dê serenidade nos momentos mais difíceis. É uma ligação muito bonita entre duas almas criativas e com vontade de mudar o mundo. Felizmente conheci “a minha pessoa”. Ele é o meu melhor amigo e a melhor pessoa que conheço.
– O programa Mais Mulher terminou e vai ter um novo programa na SIC Mulher. Estava na hora de ter novos projetos?
– Sim. É um programa que segue a linha do Mais Mulher, mas com muitas mudanças e novidades. Fico feliz por continuarem a contar comigo. Também gostava de fazer teatro, de entrar numa novela e espero que esses convites surjam! Confesso que me sinto preparada para novos projetos. Chegou o momento de dar um salto.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras