Nas Bancas

Sofia Ribeiro confidencia: "Quero muito construir uma família"

Nesta entrevista, a atriz negou os rumores de separação e assegurou que continua feliz ao lado do namorado, Ruben da Cruz, com quem partilha o sonho de ter filhos.

Marta Mesquita
19 de abril de 2015, 10:00

Quem vê Sofia Ribeiro, de 30 anos, sempre de sorriso aberto e com um ar feliz nem imagina as dificuldades que já teve de ultrapassar para ser hoje uma das atrizes mais populares e bem sucedidas da ficção nacional. Tal como admitiu no programa Alta Definição, morou com os pais e a irmã em residenciais, trabalhou em limpezas e chegou a passar a ferro para ganhar a vida. Contudo, essas contrariedades nunca lhe roubaram os sonhos nem o desejo de ter dias mais felizes. Lutadora, a atriz começou a ir a castings, até que foi chamada para entrar na série juvenil Morangos com Açúcar, há oito anos.
A partir daí, a sua história profissional conta-se nos ecrãs e a pessoal nas páginas das revistas. Depois de um curto casamento com o manequim Ruben Rua, a atriz apaixonou-se pelo DJ e empresário Ruben da Cruz, com quem namora há mais de um ano. E se a imprensa já ditou por diversas vezes o fim desta relação, a verdade é que continuam juntos e felizes, partilhando até o desejo de serem pais.
Tendo como mote a sua estreia em teatro na peça Boeing Boeing, que vai estar em cena no Teatro Villaret de 19 de março a 12 de abril, a atriz conversou com a CARAS e revelou o seu lado mais emotivo e romântico.
– Estreou-se em teatro com a peça Boeing Boeing. Pode dizer-se que levantou voo enquanto atriz com este trabalho...
Sofia Ribeiro – Sim, é verdade. Tem sido uma experiência maravilhosa a todos os níveis. Não me podia ter estreado em teatro com uma peça ou um elenco melhores. E o público tem sido maravilhoso. Foi mesmo um levantar voo e tem sido uma viagem muito boa. Já andamos há um ano em digressão pelo país e tem sido muito gratificante. A energia que vem do público é apaixonante.
– Está satisfeita com o seu trabalho ou acha que ainda há muito para melhorar?
– Tem dias... Sou muito crítica e quan­do vejo o meu trabalho é sempre na perspetiva do que posso melhorar. E muitas vezes, quando vejo o que faço, não adoro... Mas também não sou de me chicotear! Não tenho muita formação e o meu processo de criação de personagens é muito interior e baseado nas minhas verdades. É tudo muito espontâneo.
– Já trabalhou em muitas áreas e ultrapassou várias dificuldades, tanto familiares como financeiras. Ter uma noção do quão dura pode ser a realidade tem-na ajudado na criação de personagens?
– Ter vida ajuda sempre na criação de personagens. Um ator trabalha com emoções, com histórias e relações. Por isso, uma pessoa com alguma vida sabe transmitir muitos sentimentos.
– E a mulher que é hoje deve resultar muito de todas essas emoções e dificuldades que já ultrapassou...
– É também uma aprendizagem. Estou a aprender o significado de todas as coisas que vivi. Acima de tudo, essas dificuldades fizeram-me querer lutar por uma vida que deixe os meus filhos orgulhosos. Quero olhar para trás e pensar: “Boa, fizeste bem.” Todos temos um caminho e quero que a minha história termine bem.
– E como é que idealiza o seu final feliz?
– Quero muito construir uma família. O meu maior sonho é ser mãe. Também quero sentir-me realizada com o meu percurso profissional. E acho que com força de vontade tudo se consegue alcançar. Já poderia ter sido mãe, até porque é algo que quero desde muito nova, mas teria sido por egoísmo. Quero construir a minha família com muito amor.
– Sente que já chegou a altura de realizar o seu sonho de ser mãe?
– Ser mãe é algo que já esteve mais longe de acontecer! [risos] Sinto que vou conseguir ser uma boa mãe. Tenho andado a refletir muito sobre isso...
– E o Ruben também quer ser pai?
– Sim, também quer muito.
– Então, consegue imaginar o seu futuro com o Ruben...
– Só assim faz sentido. Só estou com alguém se efetivamente acreditar que é possível sermos felizes e construirmos algo bonito para os dois. Somos pessoas diferentes, mas acima de tudo gostamos muito um do outro. Não sou de namoros passageiros. Sou uma pessoa com relações duradouras, porque preciso de me sentir estável. Temos de conseguir projetar o nosso
futuro com a pessoa com quem estamos.
– Algumas publicações noticiaram que a Sofia e o Ruben fizeram queixas mútuas por alegadamente sofrerem de violência doméstica. Esses rumores afetaram a vossa relação?
– As pessoas que gostam de mim sabem perfeitamente quem sou. Mas é triste ver mentiras sobre nós, coisas descabidas e tiradas de contexto. Claro que todos os casais têm problemas. Não acho que uma relação seja saudável se as pessoas não tiverem trocas de ideias! Agora, fazer disso algo feio para criarem escândalos e capas sensacionalistas é triste.
– E faz sentido casar-se novamente?
– Nunca tinha sonhado casar-me, mas aconteceu e naquela altura fez todo o sentido dar esse passo. O casamento foi dos momentos mais bonitos da minha vida, que vou guardar para sempre. Agora, nem eu nem o Ruben pensamos muito em casamento. Estamos bem assim. Vivemos o presente. Não acho que o casamento seja o fundamental.
– Tem viajado muito para o Brasil. Gostava de construir uma carreira lá?
– Nunca pensei em sair do meu país e construir uma vida fora daqui, mas isso foi até conhecer o Rio de Janeiro e me apaixonar por aquela terra. No Rio sinto-me em casa. Estou muito realizada com o que tenho cá, mas gostava muito de poder tentar a sorte no Brasil e tenho estado a fazer contactos nesse sentido. Vamos ver o que acontece.

Palavras-chave

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras