Nas Bancas

0.jpg

Arquivo CARAS

Figuras públicas recordam Manoel de Oliveira

O cineasta morreu esta quinta-feira, 2 de abril, aos 106 anos. 

CARAS
2 de abril de 2015, 15:01

Manoel de Oliveira morreu esta manhã, aos 106 anos, na sua casa, no Porto. Após ter sido divulgada a notícia da sua morte, começaram a surgir nas redes sociais reações de várias personalidades, figuras públicas e colegas e amigos de profissão.
Rita Ferro Rodrigues (apresentadora): “Morre aos 106 anos. Mas é verdadeiramente imortal e eterno. Uma vénia e um aplauso para o mestre”
Cláudia Vieira (atriz): “Obrigada Manoel de Oliveira”
Pedro Teixeira (ator): “RIP Manoel de Oliveira!!!”
Assunção Esteves (Presidente da Assembleia da República): “Manoel de Oliveira deixa-nos o sublime da sua arte, uma arte que a todos nos libertava na sua infinita perfeição. Como se o cinema que criou, por todos reconhecido, fosse a memória da nossa própria transcendência e o exemplo para a projectarmos nas coisas que fazemos”
Catarina Martins (coordenadora do Bloco de Esquerda): “Morreu o Manoel de Oliveira. É certo que a idade tornaria a notícia normal. Mas de algum modo inexplicável...”
Carminho (fadista): “Manoel de Oliveira sempre.”
Miguel Guilherme (ator): “Manel nunca tive tanta vontade de fazer bem as coisas como tive para si. Miguel.”
Rui Moreira (autarca): “Manoel de Oliveira no dia do seu 106º aniversário. Deixou-nos um grande senhor do Porto”
Catarina Furtado (apresentadora): “Partiu um dos maiores realizadores de sempre. Foi hoje e tinha 106 anos. Ainda realizava, exemplo único no Mundo. Levou o seu cinema de autor além fronteiras e com ele, Portugal. Tão único como a sua forma de dirigir cada filme. Lembrarei sempre a pequena participação que fiz em Non', ou A Vã Glória de Mandar", uma honra”
Raquel Strada (apresentadora): “São muitas as razões que me dão um imenso orgulho em ser portuguesa. O orgulho nunca morre. Manoel de Oliveira não morreu. Vai só ali e já vem”
Mariana Monteiro (atriz): “Grande Senhor! Um exemplo de Vida! Cineasta até ao fim , diz-se que foi o realizador mais velho do mundo, em actividade. Não via na idade, impeditivo para os seus sonhos , nem para os seus filmes ... Uma sábia lição para todos nós, que precisamos perceber que os limites estão em nós e que portanto ,podem ser quebrados ... Grata também pelo legado de filmes que nos deixou! Grande Manuel De Oliveira”
Mariza (fadista): “11 Dezembro 1908 - 02 Abril 2015. Obrigada.”
Cuca Roseta (fadista): "O verdadeiro criador é inquieto. Inquietação é vida"
Sílvia Rizzo (atriz): “Aos 106 anos Manoel de Oliveira foi descansar!”
Miguel Vieira (estilista): “Estamos tristes”
Alda Gomes (atriz): "Nos 80 anos de atividade cinematográfica, Manoel de Oliveira fixou um percurso que é considerado fundamental na história do cinema português, nem sempre consensual, nem sempre compreendido pelo público, mas quase sempre unanimemente elogiado pela crítica." R.I.P. Manoel de Oliveira (1908-2015).”
Luís Borges (modelo): “RIP MANOEL DE OLIVEIRA”
Ana Rita Clara (apresentadora): “Hoje o dia termina mais triste. Com sabor a perda, a saudade. Mas ficará para sempre connosco Manoel de Oliveira. Até porque seremos sempre mais portugueses com aquilo que nos entregou.”
Isaac Alfaiate (ator): “RIP Manoel de Oliveira"
Daniel Oliveira (apresentador): “"Prefiro o paraíso pelo clima e o inferno pelas companhias", Manoel de Oliveira”
Valter Hugo Mãe (escritor): “O Manoel de Oliveira tinha 106 anos e, ainda assim, faleceu jovem. O triste é sabermos disso, que o mestre era jovem, precisava sempre de mais tempo.”
Daniel Oliveira (político e jornalista): “Finalmente o País vai reconhecer o génio. No filme, Wim Wenders mostra Manoel de Oliveira.”

Bárbara Taborda (relações-públicas): “O realizador Manoel de Oliveira morreu, esta quinta-feira, aos 106 anos. "Se há uma coisa que nos torna pacíficos, para o bem e para o mal, é a morte", disse numa entrevista! Com uma vida longa, como queria filmou até ao fim Que descanse em Paz!”
Dalila Carmo (atriz): “E no dia dos SOPHIAS, os prémios da nossa Academia Portuguesa de Cinema, sabe se da partida do nosso imortal Manoel de Oliveira, o homem que respirou o cinema toda a sua longa vida. Morre aos 106 anos o realizador que filmou até ao fim, que gerou amores e ódios mas manteve a coerência independentemente de tudo. Morreu o "mestre" e acima de tudo, para mim, um MILAGRE DA VIDA. Em "Vale Abrãao" tive oportunidade de filmar com ele e guardo a imagem da sua imensa vitalidade, do seu incansável prazer de filmar. Paz à sua alma. E que continue a viver para sempre através da sua obra”

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras