Nas Bancas

Anabela casa-se hoje: “O Vítor foi como um presente na minha vida”

A cantora e o administrador vão passar a lua-de-mel em Moçambique e na Cidade do Cabo, na África do Sul.

Vanessa Bento
14 de março de 2015, 10:00

Pestes a lançar um novo álbum de originais, Casa Alegre, numa altura em que completa 30 anos como cantora, Anabela, de 38 anos, tem dividido os seus dias entre a música e os últimos preparativos para o seu casamento. “O disco foi gravado nesta fase de um novo amor, em que me vou casar, e chama-se Casa Alegre porque o Vítor permitiu que a minha casa se tornasse mais alegre”, explica. Juntos há quase dois anos, Anabela e Vítor Esteves preparam-se para celebrar o amor mútuo no dia 14 de março, numa cerimónia cheia de significado.  
– 2015 começa de forma promissora...
Anabela – É verdade. É um ano importante para mim, não só a nível pessoal, mas também profissional. É um ano de concretizações, com um casamento e o lançamento de um disco novo, que há muito ambicionava fazer.
– Sentem-se nervosos?
– Não estou nada nervosa. Gostava muito que fosse um dia de muita alegria – e sei que vai ser –, de emoções e lágrimas, mas muito feliz e descontraído. Quero viver ao máximo este dia único, que sei que não se vai repetir.
Vítor – Eu também não me sinto nervoso. Estamos a fazer tudo com naturalidade e com prazer. Não somos miúdos e se nos vamos casar, sendo o nosso primeiro casamento, é porque temos a certeza.
– Acreditam que encontraram a vossa alma gémea?
– Querermos casar nesta idade é querer passar o resto da vida em conjunto. Claramente que a minha alma gémea é a Anabela, porque é com ela que eu quero estar.
Anabela – Nunca tive grandes fantasias em casar-me, mas com o Vítor senti que queria muito casar-me pela igreja, porque acho que ele é uma pessoa muito especial e foi como um presente na minha vida. Por isso, queria muito festejar com a minha família e com os amigos. Este casamento é muito importante para mim neste momento da minha vida.
– Porque é que diz isso?
– Porque é muito desejado, porque me sinto muito amada e amo muito. O Vítor faz-me mui­to feliz e eu quero partilhar isso, quero que seja uma celebração sagrada, abençoada por Deus.
– Perceberam logo a dimensão do vosso amor?
Vítor – Eu disse-lhe, no início da nossa relação, que isto ia ser uma coisa muito bonita. Nunca tinha conhecido ninguém com quem me visse a ficar a vida toda. Até que chegou a Anabela. Quando nos vemos, no futuro, a cuidar dos nossos netos, juntos, e gostamos dessa fotografia, é porque encontrámos a nossa cara metade.
Anabela – O Vítor é o meu melhor amigo. Somos dois livros abertos. Com ele posso ser quem sou verdadeiramente. Temos uma relação de amor, de encantamen­to, de admiração, de paixão... Estou sempre a descobrir coisas que me encantam no Vítor. Gosto mais dele a cada dia que passa.
– Planeiam ter filhos?
– Claro, queremos muito ser pais. E queremos que seja para breve. Não queremos nada adiar.
– Gostavam de ter mais do que um filho?
– Eu só penso num. Por um lado gostava de ter mais, mas não sei se vou ter. Aos 38 anos, não tenho muita margem. Vamos ver, não sei o que a vida me vai trazer.
Vítor – Queremos muito ser pais, mas sem planos, aceitamos o que vier.

 

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras