Nas Bancas

Maria e Salvador Sottomayor vivem dias felizes em família no Castelo da CARAS

O comandante da TAP, a advogada e os filhos viveram momentos de muita cumplicidade e união familiar. 

Andreia Cardinali
1 de fevereiro de 2015, 18:00
Salvador e Maria Sottomayor sempre sonharam ter uma família numerosa, por isso, é com muita alegria e sem sacrifícios que vivem dedicados aos quatro filhos, Duarte, de 12 anos, António, de dez, Vasco, de oito, e Francisco, de quatro. “Já contribuímos quase quatro vezes mais do que a média dos portu­gueses para a nossa população! Temos muita sorte em ter quatro filhos espetaculares e saudáveis e estamos muito satisfeitos em ficar por aqui!”, garantiu o comandante da TAP quando questionado sobre a vontade de serem pais novamente.
Dias antes do Natal, o casal aproveitou o nosso convite para rumar ao Castelo da CARAS, em Estremoz, e com humor os dois contaram que o mais difícil em dias como estes é a logística. “O complicado é mesmo sair de casa. A partir daí aproveitamos a fundo todos os momentos. Este foi um exemplo típico de um programa para toda a família. Nós adorámos o castelo, mas eles também, estavam fascinados com a torre, a grandeza das salas, dos quartos... Ficaram tristíssimos na hora de ir embora! E nós tiramos também partido dessa diversão deles e aproveitamos para sair da rotina”, contou a advogada, enquanto Salvador acrescentou: “A logística é sempre complicada, a começar pela arrumação do carro. Estou a pensar tirar a carta de pesados porque, à medida que vão crescendo, posso precisar de um autocarro! De qualquer maneira, depois de um grito ou outro as coisas, por milagre, lá se compõem e divertimo-nos muito estrada fora, ou então adormecem todos, incluindo a Maria, e eu fico entregue à meditação automobilística até alguém precisar de parar e lá começa tudo de novo. Torna-se difícil cumprir qualquer tipo de horário. Eu, que nunca cheguei atrasado a um voo na minha vida, tenho fama de não ter horas na família.” 
Apesar desta vida atarefada e das agendas profissionais apertadas, o casal contou que tudo faz para que não se esqueçam dos momentos a dois. “Tentamos sempre encaixar os nossos progra­mas, seja um jantar a dois ou com amigos, uma ida ao cinema, ou uma escapadela dentro ou fora de Portugal para conhecer coisas novas! Só assim é possível continuar a cultivar a cumplicidade que é fundamental existir na vida de um casal”, desabafou a advogada. 
Salvador contou que para que isso aconteça é necessária a ajuda da restante família: “Divertimo-nos muito com eles mas também fazemos um esforço para fazer uns programas a sós, com a ajuda da família. Não é fácil entregar quatro crianças e ‘desaparecer’.”

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras