Nas Bancas

Amal Clooney dá a cara por mais um caso mediático de direitos humanos

A advogada vai representar a Arménia num processo sobre genocídio. 

CARAS
28 de janeiro de 2015, 17:09

Amal Clooney é o centro das atenções seja na passadeira vermelha ou quando está a trabalhar no tribunal. A mulher de George Clooney abraçou mais um caso de grande mediatismo em termos de direitos humanos.
A advogada britânica de origem libanesa, de 36 anos, esteve esta manhã no Tribunal Internacional de Direitos Humanos, em Estrasburgo, para representar a Arménia no processo que opõe a decisão do tribunal suíço, que proíbe a negação pública do genocídio arménio, alegando que esta é uma violação da liberdade de expressão.
Trata-se de um recurso de uma decisão tomada pelo tribunal em 2013 e que poderá ter repercussões em vários países, como a França, que também já tentou proibir a negação do genocídio.
Por sua vez, Amal tentará refutar os argumentos de países como a Turquia, que continua a rejeitar o genocídio e a deportação de arménios durante o Império Otomano, entre 1915 e 1923. 

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras