Nas Bancas

Na fase final da gravidez, Shakira afirma: “Um filho é uma fonte infinita de amor”

A cantora, de 37 anos, e o futebolista Gerard Piqué, de 27, esperam o segundo filho, um menino, que deverá nascer em janeiro, o mês em que Milan completa dois anos.

Cláudia Alegria
1 de janeiro de 2015, 14:00
A propósito do lançamento de uma linha de brinquedos e artigos de puericultura desenhada por Shakira para a Fisher-Price, e cujos lucros revertem em parte para programas de desenvolvimento infantil através da sua fundação, Pies Descalzos, a CARAS falou com a cantora, que revelou estar encantada com a experiência da maternidade. 
– Como é que tem decorrido a gravidez?
Shakira – Lindamente. Tenho tido a sorte de ter gravidezes muito tranquilas. Não me posso queixar.
– Os estímulos proporcionados às crianças na infância condicionam a formação da sua personalidade. De que forma tentam estimular o vosso filho?
Falo com ele tanto quanto possível e procuro encontrar brinquedos que estimulem os seus sentidos. Também faço pequenos jogos ou exercícios, como os jogos de memória. Mas tudo se resume à interação – acho que é muito importante haver uma interação plena e constante.
– Tem o hábito de cantar canções de embalar ao seu filho?
– Sim. Também canto clássicos, ou pelo menos cantava imenso quando ele era bebé, como Frank Sinatra ou Billie Holiday.
– Ele já gosta de jogar à bola?
– Jogar à bola é a brincadeira preferida dele! Coloca dois postes a fazer de baliza, como as pernas de uma cadeira, e começa a chutar a bola até se cansar. Herdou, claramente, a paixão do pai.
– Sente que as suas prioridades mudaram desde que foi mãe?
– Ser mãe tem-me obrigado a rever prioridades; já não fico num estúdio até às três da manhã a tentar aperfeiçoar uma pequena nota musical, tive de aprender a dar mais folga às rédeas... Agora tenho uma família e um lar, e eles precisam de mim. Ser mãe ajudou-me, de facto, a reorganizar o meu tempo e a dar mais sentido a tudo o que faço – trouxe disciplina e estrutura à minha vida que contribuíram para um sentimento geral de equilíbrio. 
– Todos gostamos de sonhar com o futuro dos nossos filhos. O que sonha para o futuro dos seus filhos?
– Espero que o meu filho se torne uma pessoa boa, num cidadão responsável, e que sinta o apelo de contribuir para um mundo melhor.
– Quais têm sido as maiores alegrias da maternidade?
É uma fonte infinita de amor, de am­bos os lados. E vê-lo a crescer e a desenvol­ver-se tem sido uma das coisas mais fascinantes e gratificantes da minha vida.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras