Nas Bancas

Ana Bola

Ana Bola

Victor Freitas

Ana Bola escreve texto emotivo dedicado ao pai, que morreu esta semana, aos 93 anos

"O meu Pai era um herói, aliás um Super Herói. Nada o atingia. Nunca deu confiança às doenças ou às maleitas da idade"

CARAS
7 de dezembro de 2014, 21:45

Ana Bola agradeceu aos amigos as mensagens de apoio que tem recebido após a morte do pai, partilhando na sua página de Facebook o seguinte texto dedicado ao progenitor: "Quero agradecer a todos os que fizeram menos infelizes estes últimos dias. O meu Pai era um herói, aliás um Super Herói.Nada o atingia. Nunca deu confiança às doenças ou às maleitas da idade. Era surdo mas fazia de conta que não. Via muito mal mas dizia que via tudo. Andava quilómetros e quilómetros por dia para se exercitar e ir comprar yogurtes 10 cêntimos mais baratos onde houvesse promoções. Só este ano quando fez 93 aceitou que finalmente estava velho. E mentia na idade mas ao contrário. Dizia que tinha 94 para lhe dizerem como estava bem conservado. E estava. Morreu com uma doença chamada "Teimosia Crónica Compulsiva". Teimava que conhecia as escadas de cor e salteado e nem precisava da luz acesa. Enganou-se. Mas só desta vez. Já se tinha enganado mais vezes mas nunca tinha sido fatal. A minha mãe e eu sabíamos que um dia seria.Tinha uma missão nestes últimos anos. Viver para a minha mãe, por ela e para ela. Sem condições. Se tivesse sido preciso teria dormido no chão aos seus pés. Nunca vi um amor tão grande. Não sei como a minha mãe, Mafaldinha como ele lhe chamava vai ultrapassar esta dor. Ou se vai. Eu fico com as melhores recordações com que se pode ficar dum Pai. Melhor, dum Super Herói"

 

 

 

Palavras-chave

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras