Nas Bancas

10468097_987826417897619_277068431854679625_n.jpg

D.R.

Advogada comenta processo de Miguel Caldeira, impedido de ver o filho há mais de dois anos

"Os processos judiciais não se regem pela dimensão humana e afectiva do que lhes está subjacente"

CARAS
28 de novembro de 2014, 15:36
Alexandra Queiroz
, advogada do ex-jornalista da SIC
Miguel Caldeira
, que está há impedido de ver o filho há mais de dois anos, acaba de publicar um texto na página de Facebook 
Miguel Caldeira: Sempre, ao teu lado
,
a pensar em ti,
criada ontem para apoiar Miguel, e que aqui reproduzimos: 

"Os processos judiciais não se regem pela dimensão humana e afectiva do que lhes está subjacente. Essa é, seguramente, a parte mais penosa de ser Advogado. Por mais que os agentes judiciais – Juízes, Magistrados do Ministério Público, Advogados, Funcionários judiciais - “sintam” o processo, percebam que é chocante e anseiem por fazer mais e melhor, por mais que sintam a diferença (afectiva, emocional) entre uns e outros processos, há limites processuais, barreiras jurisdicionais, meios técnicos, inércia de outras jurisdições, dificuldades de ordem burocrática vária, que contribuem - muitas vezes decisivamente - para que a justiça que queremos e que merecemos que seja feita não seja, efectivamente, a justiça que temos. O tempo de quem precisa não é igual ao tempo de quem o administra. O tempo do Miguel e do Santi, no caso concreto, não volta para trás. O tempo da justiça tem sido gasto a tentar que não se perca mais tempo. Tudo isto demora (in)compreensivelmente tempo demais. Esta é o peso que todos os Advogados carregam consigo, nos seus processos, nos processos dos seus “meninos”, dos “seus pais” e das “suas mães” TODOS os dias. O Miguel é um dos “meus pais” e o “Santi”, que não conheço, um dos “meus meninos”. Este peso, para mim, existe. Ao enorme peso da infelicidade que o Miguel tem de não poder estar com o Santi corresponde o também enorme contrapeso da amizade de que esta página é apenas um (maravilhoso) exemplo. Vamos ter a Justiça que (é) precisa."
Palavras-chave

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras