Nas Bancas

Inês Santos em Zanzibar: “Estou mais preparada para viver o verdadeiro amor”

No ano em que comemora 20 anos de carreira, a artista deu uma entrevista à CARAS. 

Cristiana Rodrigues
15 de novembro de 2014, 10:00

São 20 anos de carreira, pretexto para esta entrevista com Inês Santos, cantora, hoje também diretora artística da Portuscale Cruises, a companhia de navegação da qual faz parte o Paquete Funchal ou o Navio Lisboa. De passagem por Zanzibar, a artista, que nos entrou em casa pela primeira vez no programa Chuva de Estrelas que venceu em 1995 com uma versão de Nothing Compares 2 U de Sinead O’Connor, e que mais recentemente foi uma das finalistas do programa A Tua Cara Não me É Estranha, fez algumas fotos que cedeu à CARAS.
– Estes 20 anos de carreira têm sido bem gozados? 
Inês Santos – Têm sido sobretudo uma aventura muito positiva. Especialmente porque nunca me afastei do percurso ético que escolhi seguir. Talvez não seja tão famosa como poderia ser, mas vivo feliz e de consciência tranquila com as opções que fui tomando. Não é a fama que eu procuro, mas sim um percurso que me faça crescer como ser humano e como artista. Olho para trás e vejo o quanto evoluí. Isso só foi possível porque nunca fui pelo caminho mais fácil e privilegiei sempre o desafio, a descoberta, o desconhecido.
– A certa altura da sua vida teve de abraçar outros projetos. Foi difícil decidir fazer outra coisa na vida que não apenas cantar?
Eu não decidi nada. O ser humano não é uma coisa só. É ambivalente. Eu sou, se me pedir que me defina, cantora, sem dúvida, é essa a minha missão na vida, mas sempre adorei várias outras coisas. Em 2003 fiz um curso de produção de espetáculos que muito me ajudou a abraçar o desafio para ser diretora artística da Portuscale Cruises e que é complementar à minha vida como cantora. Hoje continuo a cantar, a fazer os meus concertos, mas movo-me paralelamente na produção, contratação de artistas, parte técnica, conteúdos de entretenimento e... cereja no topo do bolo: às vezes vou aos navios da nossa frota certificar-me de que tudo corre bem. Aproveito para viajar e cantar também. Duas das coisas de que mais gosto na vida.
– Durante dois anos andou ‘embarcada’ num cruzeiro onde viajou pelos quatro cantos do mundo. Depois decidiu ‘aterrar’. Foi a melhor decisão?
[risos] Sim, já estou em Por­tugal há dois anos e agora só muito de vez em quando é que vou aos nossos navios. Foi uma experiência que serviu, naquela altura, para viver certas coisas na minha vida, profissional e pessoal, mas o meu ‘poiso’ é em Lisboa e sempre que possível, Coimbra, a minha cidade, o meu porto seguro.
– ‘Navegou’ sempre por linhas direitas ou por vezes sentiu-se à deriva?
Eu própria me coloco à deriva. Não gosto daquilo que é certo e seguro. Por exemplo, quando vim viver para Lisboa, em vez de ir pelas ruas que conhecia, escolhia caminhos desconhecidos, para passar a conhecer, para encontrar recantos novos, descobrir, acrescentar algo. Sinto-me cada vez mais conhecedora de mim mesma, não tanto dos outros, mas creio que, até ao fim da vida, haverá sempre coisas que desconheço, nas quais ando à deriva, ganhando dia após dia cada vez mais noção de onde é o norte.
– E na sua vida sentimental, anda à deriva ou tem um porto seguro?
Acredito sinceramente que para sermos o porto seguro de alguém, se é que isso é possível e justo, devemos ser primeiro o nosso próprio porto seguro. Nesse sentido, não considero leal procurarmos nos outros aquilo que devemos encontrar em nós próprios. Faço esse trabalho de me conhecer, estar segura de mim diariamente e tento preparar-me para em algum momento poder estar ao lado de alguém, caminhar em paralelo, acrescentar, fazer sobressair o melhor de alguém, acho que isso é que é o amor. Agora estou numa fase de descoberta e creio que mais preparada para viver o amor, o verdadeiro.

Palavras-chave

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras