Nas Bancas

Nicole Kidman

Nicole Kidman

Getty Images

Nicole Kidman confessa desejo de voltar a ser mãe

A atriz tem quatro filhos e quer voltar a viver a experiência da maternidade.

Redação CARAS
10 de outubro de 2014, 17:04

Durante uma entrevista para a radio australiana Kiis 1065, Nicole Kidman falou do seu desejo de voltar a ser mãe e da perda que sofreu recentemente com a morte repentina do pai, o médico Antony Kidman. “Todos os meses tenho a esperança de estar grávida de novo. Mas nunca estou. Ficaria radiante se isso acontecesse”, afirma a atriz, antes de acrescentar com alguma tristeza: “Tenho 47 anos, isso não vai acontecer”. Contudo, quando a radialista Jackie O lhe contou a história de uma amiga que foi mãe aos 49 anos, Nicole não conseguiu esconder o seu entusiasmo: “Isso é incrível, uma coisa fantástica. A minha avó também teve o seu último bebé aos 49, por isso nunca se sabe. Eu sou louca por bebés, adoro… As crianças são simplesmente fantásticas”. A artista disse ainda que o marido, Keith Urban, talvez não esteja disposto a voltar à fase das fraldas e das noites mal dormidas agora que as filhas – Sunday e Faith – já estão crescidas. “Ele talvez não saltasse de alegria [se eu engravidasse], afirmou entre risos.
Nicole Kidman já é mãe de Isabella, de 21 anos, e Connor, de 19, adotados durante o seu casamento com Tom Cruise, e de Sunday Rose, de seis, e Faith, de três, fruto da união com Keith Urban, sendo que a última foi concebida em 2011 através de uma barriga de aluguer.
Já sobre a morte do pai, Antony Kidman, Nicole não conseguiu esconder a consternação perante uma perda tão grande e repentina. “Ele era um homem fantástico. Tenho uma família muito unida, somos um só”, disse, com a voz embargada e as lágrimas nos olhos. E depois de ficar um pouco em silêncio para se recompor, concluiu com uma mensagem dirigida a todos os que a apoiaram neste momento difícil: “Tenho que dizer isto. Muitas pessoas se aproximaram e foi muito bom. Em situações semelhantes, eu costumava pensar: ‘Não quero intrometer-me, pode parecer estranho’. E agora, estando do outro lado, percebi o quanto é bonito ver os gestos das pessoas à nossa volta. Um postal, um telefonema ou qualquer outra demonstração de apoio significam muito para quem está a sofrer”.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras