Nas Bancas

Tiago Bettencourt

Tiago Bettencourt

D.R.

A escolha de... Tiago Bettencourt

O músico levou o seu mais recente CD ao Casino Estoril. Oportunidade para ouvir ao vivo temas como “Aquilo que Eu Não Fiz” ou “Morena”.

Redação CARAS
21 de setembro de 2014, 18:00

Nascido em Coimbra há quase 35 anos (completa-os a 16 de setembro), Tiago de Albergaria Pinheiro Goulart de Bettencourt foi um dos membros fundadores dos Toranja, que se lançaram em 2003, com Esquissos. Depois de a banda anunciar uma pausa sem fim à vista, em 2006, Tiago iniciou um percurso em nome próprio, lançando Jardim, em 2007, com os Manta como banda de apoio. Seguiu-se Em Fuga, em 2010, Tiago na Toca & Os Poetas, em 2011, o Best of Acústico, em 2012, e, esta primavera, Do Princípio. Sobre o título deste álbum, que tocou ao vivo no Lounge D do Casino Estoril no início do mês, o músico justifica: “Quero que me voltem a aceitar como da primeira vez.”
O Evento - Festival du Desert
Um festival de world music em Essakane, no deserto do Saara, no Mali. Com música do Mali, dos países vizinhos e também de alguns europeus que não se sabe bem como foram parar ao cartaz. Não é fácil lá chegar, como não é fácil lá ficar, mas foi das maiores e mais frutuosas experiências da minha vida.
A Viagem – Islândia
Foi uma das viagens mais marcantes da minha vida. Foi só alugar um carro e dar a volta à ilha em dez dias, pela Ring Road. Desde piscinas naturais quentes de um azul baço até ao glaciar a desfazer-se em icebergs que flutuam até ao mar, é um país onde a vida do nosso planeta está à frente dos nossos olhos e um sítio perfeito para descansar o espírito.
O Fim de semana - Costa Alentejana
Seja inverno ou verão, nunca me desilude. O mar é Atlântico e cura qualquer cansaço. Longe da destruição turística do Algarve, ainda encontramos por lá alguns pequenos paraísos. Vamos ver quanto tempo durarão...
O Bar - O Incógnito, em Lisboa
Dos poucos bares de rock que restam. Vou ao Incógnito quando quero ouvir boa música rock alternativa, coisas que não estão na moda, ou estão mas que ninguém toca à noite. O Incógnito é um bar corajoso, que tem durado, e ainda bem.
O CD - “Morning Phase”
Sou fã do Beck desde o princípio. Este novo álbum é mais uma lição de como fazer um bom disco, inspirador e livre.
O Filme - “As Vinhas da Ira”
Muitas vezes vou à Cinemateca Portuguesa sozinho ver um filme ao calhas. Pode correr bem ou pode correr mal. Desta vez correu bem. Passei dos melhores fins de tarde da minha vida a ver este filme do John Ford, com calma, como quem vê uma peça de teatro. 

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras