Nas Bancas

Pedro Górgia e Lee Ferreira entusiasmados com o casamento

O ator, de 41 anos, e a estilista, de 26, têm o casamento marcado para setembro, entre as gravações da novela em que Pedro Górgia participa e antes do lançamento da linha de roupa de Lee.

André Barata
23 de agosto de 2014, 10:11

Depois de uma aventura como apresentador do programa Casting Nacional, Pedro Górgia volta ao pequeno ecrã para interpretar o Chico Pastor da novela Jardins Proibidos. A menos de um mês de se casar com a estilista Lee Ferreira, de 26 anos, o ator, de 41, conversou com a CARAS sobre as últimas experiências profissionais e os seus desejos para o futuro.
– Gostou de experimentar a apresentação de televisão?
Pedro Górgia – Foi uma experiência muito boa. Deram-me total liberdade para produzir conteúdos. Criámos um ótimo conceito, em que misturávamos o entretenimento com a ficção. Foi um trabalho que me deu imenso gozo, mas infelizmente não teve continuidade por diversos fatores… Mas demos a conhecer às pessoas como funcionam os castings para atores e isso foi conseguido.
– E agora, 14 anos depois da primeira versão da novela, regressa a Jardins Proibidos
– É verdade! Já comecei a gravar cenas bastante difíceis e emocionais com a Mafalda Matos. Este papel do Chico Pastor é muito dramático. É ótimo para mim mudar um pouco o registo.
– Continua a conciliar a televisão com outros projetos?
– Tenho projetos em que gostava de trabalhar agora. Um projeto de comédia, que será para explorar numa plataforma diferente, talvez na Internet. Mas são projetos que levam o seu tempo. Nunca deixo de ter projetos na gaveta, que vou trabalhando. Entretanto, tenho deixado de lado os projetos de teatro. Cada vez que faço teatro perco dinheiro e neste momento tenho outras prioridades. Tenho uma família para criar, tenho responsabilidades... Vou apostar noutras plataformas, como a Internet e a televisão.
– E consegue conjugar todas as responsabilidades com o tempo que tem para a sua noiva e para o seu filho [José Henrique, de seis anos]?
– Enquanto trabalho, se calhar preciso que as pessoas sejam mais compreensivas comigo, mas depois vou conseguindo compensar entre trabalhos, e aí consigo dedicar mais tempo às pessoas que me rodeiam.
– Para a Lee, é fácil lidar com isto?
Lee Ferreira –
Sim, é fácil, também tenho o meu trabalho e tenho passado muito tempo no Norte, onde estou a desenvolver a minha marca de vestuário. Nos últimos três meses tenho estado durante a semana entre Paços de Ferreira, Porto e Famalicão, e namoramos ao fim de semana. São fases das nossas vidas.
– Quando será lançada a marca?
– Vai ser lançada em setembro, no Village Undergroud, em Lisboa, e terá o nome Queequeg, que é o nome de uma personagem do Herman Melville, um índio do Pacífico. É uma marca top wear, com modelos para homem e mulher. Queremos ter em todas as coleções um ilustrador e para esta convidámos a Ângela Ferreira, mais conhecida por Kruella d’Enfer. Estou muito confiante neste projeto e orgulhosa por ser totalmente feito em Portugal. Depois do lançamento, vamos começar com a loja online e alguns pontos de venda em concept stores.
– E antes disso vão-se casar.
Pedro – Temos vários projetos ao mesmo tempo, é verdade. [Risos] Vamos casar no início de setembro e vai ser uma cerimónia muito simples, já temos tudo organizado. Estamos muito entusiasmados!
– O Pedro já tem um filho. Gostava de alargar a família com a Lee?
– Claro que sim. Eu sou pessoa para ter um rancho de filhos! Quero mesmo muito. Um dos meus projetos de vida passa por isso!
Lee – Gostava muito de ter três filhos! Se começarmos com uma menina, melhor.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras