Nas Bancas

Paris Hilton despede-se de Portugal a Norte

Conheça algumas curiosidades sobre a sua passagem por Portugal. 

Joana Brandão
14 de agosto de 2014, 15:42

Horas depois de ter conquistado o Seven, em Vilamoura, Paris Hilton rumou a Norte para mais um espetáculo antes de regressar a Ibiza. O Pacha de Ofir foi o local escolhido para receber a famosa socialite norte-americana e foram muitos os que não quiseram perder a sua estreia em Portugal no papel de DJ.

Com um vestido igual ao que usou no Seven, embora de outra cor, a modelo, atriz, cantora, escritora, empresária, estilista chegou com um ligeiro atraso ao Pacha mostrando-se sempre sorridente e tranquila. Rodeada por seguranças, deixou-se fotografar mas não conversou com os jornalistas presentes.

Assim que entrou na pista, Paris Hilton dirigiu-se à cabide de DJ, na companhia do irmão, Barron, e da namorada deste. Ao longo de uma hora, pôs música, tirou fotografias com o telemóvel, posou para os fãs à sua frente, dançou e agradeceu o carinho de Portugal. “Estou muito feliz por estar aqui. Espero que se divirtam”, afirmou.

Uma hora depois, como previsto, dirigiu-se para a zona VIP do Pacha onde tirou fotografias com os presentes, saíndo de Ofir já o dia estava a nascer.
Sobre o cachet de Paris Hilton e de toda a especulação em redor do pagamento destes dois sets como DJ, a CARAS conversou com o agente que trouxe a milionária norte-americana a Portugal, António Manuel Pereira, que confirmou que os valores divulgados não correspondem à realidade. “Não é verdade que ela tenha vindo receber 260 mil euros por hora. Pelo contrário, o cachet dela é regular, e até considero abaixo dos valores que ela poderia pedir porque, de facto, tem muito mediatismo. Só no Seven tivemos 125 meios acreditados. É uma grande entertainer”, referiu. Da passagem da multifacetada artista, o representante da NBDS Internacional prefere no entanto realçar: “Fiquei muito surpreendido porque ela demonstra segurança a manusear a mesa, é super interessante. Ela começou a por música há ano e meio e está completamente à vontade. Talvez o facto de ter namorado com o DJ Afrojack lhe tenha despertado o interesse.”
E d
esengane-se quem achar que Paris Hilton não passa de uma jovem rica e fútil, que vive à sombra da fortuna da família. “Ela não é fútil. Tem uma imagem fabricada e sabe muito bem o que quer. Cada movimento é estudado e resulta”, garante António Manuel Pereira. No entanto, como qualquer mulher, não descura a imagem, por isso, antes de se apresentar em público no Seven e no Pacha, a DJ de 33 anos entregou-se nas mãos da make up artist portuguesa, Sandra Alves, que em três horas a deixou pronta para os flashes.

Palavras-chave

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras