Nas Bancas

Jani Gabriel: “Quero ser reconhecida pelo meu trabalho e não por namorar com X”

A manequim prefere não se alongar muito sobre a sua relação com o ator Rui Porto Nunes. Esclarece que mantêm uma relação de amizade há sete anos.

Inês Neves
9 de agosto de 2014, 14:00

Fomos ‘espreitar’ a sessão fotográfica que Jani Gabriel fez para uma campanha da marca Tampax Pearl Ausonia, na Praia da Morena, na Costa da Caparica, e aproveitámos para pôr a conversa em dia com a manequim. Além das suas ambições profissionais, Jani, de 23 anos, falou pela primeira vez da sua relação com o ator Rui Porto Nunes, com quem mantém uma amizade há cerca de sete anos.
– Sessões fotográficas à beira-mar é mesmo a sua praia, não é?
Jani Gabriel – É mesmo, porque cresci em terra de praia, adoro! A minha estação favorita é o verão, portanto este género de trabalho é mesmo a minha praia, sinto-me muito confortável, descontraída, e consigo juntar o útil ao agradável. O dia de hoje foi muito bem passado, gostei muito desta sessão fotográfica. A equipa foi fantástica.
– Está com 23 anos e começou a trabalhar aos 14. Não está cansada ou farta?
– Não é bem farta, nem cansada, mas depois de quase dez anos nisto cheguei a uma altura em que sinto falta de novos desafios. A minha carreira tem tido um crescimento contínuo. Quando comecei, fazia mais fashion weeks, viajava imenso… São etapas ‘obrigatórias’ neste meio, e já fiz quase tudo o que a moda tem para oferecer cá em Portugal. Não estou cansada, mas preciso de mais.
– Mas já tem ideia do que quer?
– Ainda não consegui pensar em nada. O problema é que estou a estudar ao mesmo tempo que trabalho, estou a tirar o mestrado em Neuropsicologia. Sei que não quero passar temporadas fora. Tenho o cordão umbilical muito ligado a Portugal, não consigo estar muito tempo longe da minha família, por isso não consigo atirar-me seis meses seguidos para Nova Iorque, por exemplo. Então optei por continuar a fazer moda em Portugal, tal como no estrangeiro, mas trabalhos diretos. E estas opções já dão para conciliar com os estudos. São opções. Há quem diga que me vou arrepender. Neste momento, não me arrependo de nada. Não abdiquei da moda, continuo a fazer devagarinho, e depois tenho a segurança de, quando isto não der, ter um plano B, que é a psicologia.
– Essa opção de não ir trabalhar para o estrangeiro tem também que ver com o facto de ter começado a namorar com o ator Rui Porto Nunes?
– Não é bem assim, porque já faço moda há quase dez anos, e se namoro ou não, neste momento isso não interfere. Já tive outros relacionamentos enquanto viajava e sempre consegui conciliar.
– Mas há relações e relações e, por vezes, tem que se abdicar de algumas coisas…
– Quando há um relacionamento, tem que se abdicar de algumas coisas, mas não podes abdicar da tua vida. Não sabemos o dia de amanhã, tem que se aproveitar de tudo um pouco, conseguindo conjugar as coisas e sem ninguém cortar as pernas a ninguém. Quando se trata de trabalho, deve-se ir para a frente, porque depois há de haver tempo livre para se estar com a pessoa com quem se tem a relação. Não acho que ter um relacionamento seja impeditivo de nada. Até porque, se queremos ter esses momentos livres e regalias, também temos de trabalhar. E a base de uma relação é a confiança…
– Tem-se mostrado muito reservada em relação a este namoro…
– É uma opção minha salvaguardar a vida privada e, devido à maneira como têm tratado o assunto – publicam-se coisas que não são verdade –, prefiro não dizer nada. Notícias como dizerem que namoramos há um ano são mentira. Isso leva a que eu tenha menos vontade de falar sobre o assunto. E as coisas são para ser faladas no devido tempo. Se nós achámos que não era altura para assumir nada, era porque, se calhar, ainda não havia nada entre nós para assumir. Portanto, vamos sempre salvaguardar a nossa intimidade, estando juntos ou não.
– A assumir o namoro, será quando?
– Se formos assumir alguma coisa, será quando acharmos que assim o deve ser. Escrevem-se coisas precipitadamente e depois quem lê, não só os leitores, mas também a família, acha que é verdade. Nós já somos amigos há sete anos e as pessoas pensam que só nos conhecemos agora. Temos, inclusivamente, o mesmo grupo de amigos...
– Mas se diz que foram publicadas mentiras, como a duração do relacionamento, porque não desmentir, para se publicar o certo?
– Se nós assumirmos alguma coisa, irão saber.
– Porquê essa reserva tão grande sobre esta relação? Isto porque sempre falou connosco sem problemas da sua relação anterior…
– Não posso falar sobre um assunto que não me diz só respeito a mim. Depois, quero ser reconhecida pelo meu trabalho e não por namorar com X. Quando chegar a altura, e se chegar, irão saber. Não sabemos o dia de amanhã, e as coisas têm de ser feitas com calma, dar um passo de cada vez e ganhar certezas. Primeiro, as pessoas têm de se conhecer. Amizade acima de tudo!

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras