Nas Bancas

Joana Seixas na reta final da gravidez

“Acho que vou ter saudades da minha barriga”

Marta Mesquita
20 de julho de 2014, 00:00

A dias de voltar a ser mãe, Joana Seixas, de 37 anos, assegura que não se sente ansiosa por conhecer Gustavo, fruto da sua relação de cinco anos com Diogo Laço, e que vem juntar-se a Francisco, de 12 anos, filho da atriz, e a Xavier, de 14, filho do seu companheiro. E depois de ter vivido de forma “intensa” toda esta gravidez, durante a qual esteve sempre muito “ligada ao bebé”, Joana gostava de ter “o parto mais natural possível”.

– Como é que está a viver a reta final desta gravidez?

Joana Seixas – Estou ótima! Sinto-me cada vez mais leve, apesar de a barriga estar cada vez maior [risos]! Tenho feito algum exercício e tenho cuidado com a alimentação. Sinto-me muito bem fisicamente. Também fui acompanhada pela Tatiana Dominguez, no Centro Pré e Pós Parto de Entrecampos, onde aprendi imensas coisas, até porque se passaram 12 anos desde que fui mãe e precisava de me atualizar. E foi fantástico, porque neste espaço temos um acompanhamento muito completo. Agora, é só esperar pelo momento certo para o bebé nascer.

– E sente-se muito ansiosa por ter o Gustavo nos braços?

– Não estou ansiosa e quero que ele tenha o seu tempo. Adoro estar grávida e acho que vou ter saudades da minha barriga. Sinto que vivi esta segunda gravidez de uma forma mais intensa, mais ligada ao bebé e ao meu corpo. Também tive acesso a muita informação, o que foi ótimo, porque estive sempre muito atenta a todas as mudanças próprias da gravidez. Sei que o meu corpo foi feito para parir e que tudo isto é um processo natural. Mas estou preparada para qualquer tipo de parto.

– Mas que tipo de parto é que gostava de ter?

– Gostava de ter o parto mais natural possível. Nos últimos 30, 40 anos, o parto tornou-se muito instrumentalizado e passou a ser normal uma mulher levar uma epidural ou fazer uma cesariana. Esses processos são, por vezes, necessários, mas a mulher pode fazer todo um percurso que a leve a um parto muito natural. Não marquei nenhuma data para o nascimento, porque é o bebé que decide quando é que quer nascer. O trabalho de parto tem um sentido: o bebé está a preparar-se para vir ter connosco. Claro que há situações que acarretam riscos e felizmente que a medicina evoluiu! E estou preparada para qualquer eventualidade.

– A Joana e o Diogo já têm filhos de anteriores relações, mas este será o primeiro em comum. Esta gravidez já mudou a vossa relação?

– Sim. O facto de querer engravidar já tinha mudado de alguma forma a nossa relação. Esta questão de educarmos um filho de um e de outro obriga-nos a ultrapassar alguns obstáculos, o que nos leva a ter uma comunicação de casal constante e muito estreita.

Palavras-chave

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras