Nas Bancas

Manuela Moura Guedes e Patrícia Gallo apoiam Judite Sousa no momento de dor

Judite e Manuela foram muito chegadas durante vários anos, até se terem zangado. A tragédia da morte de André fez com que se reaproximassem. Com Patrícia Gallo a jornalista da TVI chegou a partilhar casa.

Redação CARAS
20 de julho de 2014, 16:57

Duas semanas depois da morte inesperada do filho, André Sousa Bessa, Judite Sousa vive momentos de angústia. A jornalista, de 53 anos, já usou as redes sociais para partilhar a dor que está a viver e no último desabafo não só voltou a recordar o filho, que morreu no passado dia 29, vítima de paragem cardiorrespiratória na sequência de várias lesões internas após uma queda numa piscina, como reagiu à capa de uma revista semanal que acusa André de ter levado uma vida boémia: “Sofro com a devassa da vida de um jovem que não era nem queria ser figura pública. Um jovem que de público tinha apenas o facto de ser filho da Judite Sousa. Peço a todos os meus colegas de profissão que realizem o seu trabalho, mas não tratem a morte do meu filho desonrando a sua memória. O título de uma publicação de hoje, duas semanas depois da morte do meu querido filho, deixou-me ainda mais triste e é exclusivamente por essa razão que deixo este registo. Apelo a que honrem o passado do meu filho. (...) Era curioso, aventureiro e muito preparado. Era um trabalhador incansável e estava entusiasmado com a perspetiva de ir trabalhar 12 ou mais horas por dia. Como qualquer jovem gostava de festas, de estar com os amigos, de se divertir, dos excessos próprios de um jovem da sua idade. Desfrutava da vida, mas não era um boémio. Era apenas um jovem solteiro de 29 anos.” Um jovem que “era um ótimo filho, admirava-a muito, tinha um enorme orgulho nela”, revelou à CARAS Patrícia Gallo, com quem Judite Sousa partilhou um apartamento na Av. de Roma quando chegou a Lisboa, em 1991, vinda do Porto. A assessora de comunicação é uma das várias amigas que têm estado ao lado de Judite e acredita que o regresso ao trabalho lhe faria bem. Até lá, rodeia-a de atenção e mimos. “Ela está lúcida, apesar de estar a passar por um momento horrível. Tem contado com o apoio dos amigos e também dos pais, que estão igualmente a sofrer. Aquilo que podemos fazer é dar-lhe muito carinho e colo. Ela é uma mulher muito corajosa e aos poucos vai conseguir viver com esta situação, vai encontrar as suas defesas, situações e interesses que a ajudarão a ultrapassar esta dor.”
Manuela Moura Guedes, que no momen­to da tragédia esqueceu instantaneamente a zanga que as manteve afastadas nos últimos anos, tem sido outra das pessoas que não saem do lado de Judite Sousa: “Perder um filho é algo inimaginável que acho que a Judite nunca ultrapassará, mas, por outro lado, a vida é feita de outras coisas e ela agarrar-se-á àquilo que tem na sua vida profissional. Espero que ela encontre outro tipo de afetos na sua vida. E há de ter nas suas memórias uma forma de o ter para sempre consigo.”
À CARAS a apresentadora do programa Quem Quer Ser Milionário, da RTP, disse ainda: “Os laços que a Judite tem com os outros também a vão ajudar a superar esta dor. Ela tem dado sinais de estar ligada à vida. A força não só das pessoas do círculo mais próximo mas de todo o país, que entendem que esta dor é avassaladora, dão força à Judite. Há pessoas que se refugiam, mas ela não o tem feito, está a dar sinais.” Para Manuela Moura Guedes, além de apoiar a amiga cabe-lhe também a difícil tarefa de confortar o filho, Francisco Vasconcelos, melhor amigo de André. “O meu filho também não está bem e esta a ser muito difícil para nós”, concluiu, emocionada.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras