Nas Bancas

Luís Mergulhão

Luís Mergulhão

D.R.

A escolha de...Luís Mergulhão

Ligado à publicidade, orientou agora a sua criatividade para a organização de uma feira internacional de artes que se realiza em julho no Estoril, a Est Art Fair.

Redação CARAS
4 de maio de 2014, 19:00

Atual CEO em Portugal do Omnicom Media Group, que detém a maior agência de meios portuguesa, a OMD, e também vice-presidente da Confederação de Serviços de Portugal, Luís Mergulhão, de 58 anos, foi vice-presidente do Instituto Português de Cinema e presidente da Tóbis Portuguesa. Na área da publicidade, é responsável pelos únicos Leões de Media atribuídos em Cannes a agências de meios portuguesas.
Agora, a criatividade está de novo na sua mira com criação de uma Feira Internacional de Arte Contemporânea em Portugal, a Est Art Fair 2014, que se realiza de 10 a 13 de julho no Estoril – e onde são esperadas mais de 30 galerias –, apostando em elevados padrões de qualidade e numa forte componente curatorial.
O Livro - Três sugestões
Húmus, de Raul Brandão; Serra-Mãe, de Sebastião da Gama; Terras do Demo, de Aquilino. Três visões sobre nós, o nosso ser, as nossas origens. Sobre Portugal. Dos novos escritores, uma escolha seria injusta, pois a nova geração tem felizmente marcado o nosso dia-a-dia com a sua escrita, numa afirmação importante da nossa identidade nacional.
O Filme - “A Sede do Mal (Touch of Evil)“

Um clássico esquecido, de 1958. Não apenas pelo genial e longo “tracking shot/travelling” que inicia o filme, mas como um extraordinário film noir, protagonizado por Charlton Heston, Janet Leigh e Marlene Dietrich, música de Henry Mancini e com a assinatura de Orson Welles.
O Concerto - Tantos!

Muito, muito jovem, o de Miles Davis na primeira edição do Cascais Jazz Festival, em 1971, acompanhado por um quinteto de luxo (basta dizer que Keith Jarrett estava lá, no seu piano elétrico), naquele que foi o início de um festival que colocou Cascais na rota do jazz mundial; jovem também, noutro ambiente, o do Teatro Villaret, Vinícius de Moraes (com a sua garrafa), Toquinho, lendo os seus poemas e cantando Jobim. Depois, foi um sem parar, onde difícil é escolher! Mas para lembrar que faz falta em Lisboa uma programação de ópera de qualidade, a excelente interpretação de O Barbeiro de Sevilha no Teatro Real de Madrid no final do verão passado.
O Festival - Est Art Fair

Estoril, na primeira quinzena do próximo mês de julho, para visitar, participar e usufruir daquilo que de mais recente se passa no panorama da arte contemporânea, durante a Est Art Fair 2014, a nova feira de arte internacional. A par de uma seleção de galerias nacionais e internacionais de renome, uma forte programação curatorial. A não perder!

Palavras-chave

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras