Nas Bancas

Muita emoção no velório e funeral do brasileiro José Wilker

A estrela das novelas brasileiras, tinha 66 anos. Morreu na manhã do passado sábado, 5 de abril, em casa da namorada, a jornalista Cláudia Montenegro, vítima de um enfarte fulminante.

Redação CARAS
9 de abril de 2014, 15:42

"Só tenho amor, muito amor, e agora saudades, sempre. Obrigada a todos pelo carinho.” Foi com estas palavras que Isabel Wilker, uma das filhas de José Wilker, fruto da relação do ator com Mônica Torres, reagiu à morte do pai. Uma morte inesperada que deixou a família e todos os amigos do ator em choque. José Wilker morreu com um enfarte fulminante no sábado, 5 de abril, dia em que estava previsto o jantar do 34.º aniversário de outra das filhas do ator, Mariana, que nasceu do relacionamento de Wilker com Renée de Vielmond. No momento em que começou a sentir-se mal, José Wilker estava em casa da namorada, a jornalista Cláudia Montenegro, mãe da sua filha Madá. Wilker foi ainda casado durante sete anos com Guilhermina Guinle, que se mostrou muito chorosa durante o velório, que decorreu no Teatro Ipanema, na Zona Sul do Rio de Janeiro. E foi precisamente aqui que foi prestada uma última homenagem àquele que muitos consideraram ser um dos melhores atores brasileiros.
Tony Ramos foi dos primeiros a chegar ao velório e mostrou-se chocado. Junto do caixão, que foi posicionado no palco, aglomeravam-se flores, fotos a preto e branco e muitos quadros que reproduzem cartazes das suas peças. Muito emocionada, Glória Pires não conseguiu comentar a perda do ator. Malu Mader referiu-se a Wilker como uma inspiração e José Mayer referiu: “Era um amigo especial, uma pessoa com um humor incrível, estou muito triste.” A também atriz Renata Sorrah nem queria acreditar que o ator com quem mais frequentemente trabalhou tinha morrido: “Nem acredito que isto aconteceu a uma pessoa tão cheia de saúde como o Zé. Ele era uma pessoa amorosa, cheia de humor. Espero que tenha feito a passagem em paz.” Ainda com lágrimas nos olhos, Susana Vieira deixou também algumas palavras de apreço: “Foi uma grande perda, porque ele era o meu amor. Acho que eu sou a maior viúva de todas as atrizes. Foram mais de 40 anos de casamento, desde a nossa primeira novela, em 1972. Ele era alegre, sofisticado e chique. Um doce.”
Depois do velório, o corpo do ator foi cremado no Cemitério Memorial do Carmo, numa cerimónia íntima.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras