Nas Bancas

Bárbara Guimarães e Manuel Maria Carrilho

Bárbara Guimarães e Manuel Maria Carrilho

D.R.

Manuel Maria Carrilho proibido de contactar Bárbara Guimarães

Por suspeitas de violêmcia doméstica, avança o jornal Público.

Redação CARAS
24 de fevereiro de 2014, 21:26

Manuel Maria Carrilho está proibido de contactar Bárbara Guimarães por suspeita de violência doméstica. Oex-ministro da Cultura apenas pode aproximar-se ou entrar na casa da ex-mulherpara ir buscar ou entregar os filhos, Dinise Carlota. A informação é avançadapelo site do jornal Público, que teve acesso ao despacho doTribunal de Instrução Criminal de Lisboa.
Na base da decisão está o facto de o TIC considerar que existe “suspeita da prática do crime de violênciadoméstica”, por parte do professor de Filosofia. Estas medidas de coaçãoforam pedidas pelo Ministério Público, como refere o documento:  "O pedido de aplicação demedidas de coacção formulado pelo Ministério Público assenta na suspeita daprática, por parte deste arguido, de crime de violência doméstica". “É inegável que (…) se verifica em concretoo perigo de continuação da actividade criminosa, traduzindo-se este nascondutas reiteradas do arguido contra a ofendida. Urge pôr termo a este perigo”,transcreve ainda o Público.
Recorde-se que, em outubro do ano passado, Manuel Maria Carrilho foi constituídoarguido processo-crime em que a apresentadora da SIC o acusa de violênciadoméstica. Bárbara moveu ainda outro processo por difamação, motivado pelasdeclarações do ex-ministro na imprensa, em que acusava a ex-mulher de seralcoólica e negligenciar os filhos, entre outras coisas.
De referir que, na mesma altura, também Manuel Maria Carrilho apresentou queixano Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) contra a apresentadora daSIC, por violência doméstica e por esta o impedir de entrar em casa e ver osfilhos de ambos. As testemunhas deste processo ainda estão a ser ouvidas e não forampara já aplicadas quaisquer medidas contra Bárbara Guimarães.
O Código Penal estipula que o crime de violência doméstica incorre numa penaque pode ir de um a cinco anos.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras