Nas Bancas

Carolina Patrocínio: “Tem sido uma gravidez muito serena”

Atenta a todas as necessidades que a sua filha, cujo nascimento está previsto para o início de abril, possa vir a ter na vida, a apresentadora da SIC recorreu à Bebé Vida para receber um ‘kit’ de preservação das células estaminais.

Andreia Cardinali
16 de fevereiro de 2014, 12:00

Grávida de oito meses já preocupada com o futuro da sua filha, que nascerá no início de abril, Carolina Patrocínio falou com a CARAS durante uma à Bebé Vida para receber um kit de preserva­ção de células estaminais.
Feliz e preparada para esta nova fase, a apresentadora contou como vive estas últimas semanas que antecedem o nascimento da sua primeira filha, fruto do casamento com o jogador de râguebi Gonçalo Uva.
– Como se sente?
Carolina Patrocínio – Muito bem! Tem sido uma gravidez muito serena, sem preocupações nem ansiedade. Gosto muito de estar grávida. Não tive de fazer grandes alterações na minha vida e tenho-me sentido lindamente.
– Já escolheram o nome?
Ainda não. Temos algumas opções, mas decidimos que só iríamos escolher o nome quando ela nascesse.
– Irradia beleza e elegância. Que cuidados tem tido?
Os mesmos que tinha antes de ficar à espera de bebé. Mantenho-me ativa praticando exercício regularmente, tenho uma alimentação equilibrada e bebo bastante água. De resto, faço a minha rotina de cremes mas sem obsessões, apenas para manter a pele bem hidratada, um ritual que também já tinha anteriormente.
– Já se sente preparada para as responsabilidades da maternidade?

Por mais que ache que sim, penso que só sentirei realmente essa responsabilidade quando tiver a minha filha nos braços.
– Já conversaram sobre os valores e a educação que pretendem dar à vossa filha?

Não tivemos nenhuma conversa específica sobre o assunto, é algo que surge naturalmente e que está implícito na nossa relação e na nossa vida. O facto de partilharmos os mesmos valores é por si só uma das razões para estarmos juntos há tanto tempo e querermos construir uma família.
– A menina nascerá em finais de março ou princípios de abril e o Gonçalo só regres­sará a Portugal em maio. Conseguirá assistir ao parto?
Só o tempo o dirá. É impossível neste momento prever o que vai acontecer em abril. Estando ele a jogar fora, sei que fará de tudo para chegar o mais rapidamente possível e poder conhecer a filha.
– Com uma família grande e unida como a sua, acredito que contará com todos eles, em especial no primeiro mês de vida da bebé...
Sim, sem dúvida. Toda a ajuda da minha família vai ser absolutamente essencial nesse primeiro mês, que será um pouco atípico, já que o contrato do Gonçalo só termina em meados de maio. Mas sei que ele regressa­rá assim que puder.
– Tem mantido o mesmo ritmo de vida ou já sentiu necessidade de abrandar?

Ainda não senti verdadei­ramente a necessidade de abrandar o ritmo, apesar de saber que já está a chegar a altura, mas acredito que o mais importante é sabermos ouvir o nosso corpo e os sinais que ele nos dá diariamente. Se por alguma razão tenho um dia ou semana mais agitados, com maior stresse, tento compensar com mais descanso e horas de sono.
– Tem-se falado muito do tamanho da sua barriga. Agora que já se nota mais, tem mais vontade de a exibir?
Sempre tive vontade de a mostrar. Nunca fiz qualquer tentativa de a esconder, muito pelo contrário, é um motivo de orgulho que fotografo a todo o momento. No entanto, guardo para mim a exclusividade de decidir quando, onde e como o faço e, claro, a quem mostro! [risos]
– Também se tem falado da forma como continua a encarar o desporto e até a receber ‘conselhos’ de outras mães para abrandar. Isso incomoda-a?

Incomoda-me apenas o facto de opinarem de forma maliciosa, na maioria das vezes por falta de informação sobre o assunto. De resto, não é algo que me persiga ou tire o sono.
– Já está tudo preparado para a chegada da bebé?
– Começa agora a ficar! O médico deu-me a indicação para que aos sete meses as coisas já estivessem o mais encaminhadas possível, por isso, o quartinho está a ficar pronto e o enxoval também, já que tive a sorte de herdar muitas coisas da minha mãe e algumas da minha irmã Mariana, apesar de o meu sobrinho ser um rapaz.
– Ao optar pela Bebé Vida, está a ‘preservar’ o futuro da sua filha. Isso tranquiliza-a?
Tranquiliza-me no sentido de saber que estou a fazer tudo o que está ao meu alcance para a poder proteger no futuro. Quero certificar-me que estou a usar todos os meios que tenho disponíveis para lhe poder garantir o maior leque de possibilidades existentes.
– A dois meses de conhecer a sua filha, começa a ficar ansiosa para tê-la nos braços?
Ansiosa não propriamente, mas claro que estou curiosa para conhecê-la.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras