Nas Bancas

Mazgani

Mazgani

Rita Carmo

A escolha de... Mazgani

Culto e profundo, como as suas canções, o músico e compositor editou recentemente ‘Common Ground’, que apresenta agora ao vivo.

Redação CARAS
19 de janeiro de 2014, 19:00

Natural do Irão, Shahryar Mazgani veio para Portugal com os pais, em 1979, para fugir à revolução islâmica, radicando-se em Setúbal. Licenciado em Direito, trabalhou como fotógrafo, fez crítica de cinema e, aos 30 anos, decidiu dedicar-se à música. A primeira maqueta que gravou foi distinguida pela revista francesa Les Inrockuptibles, que o apresentou como um dos 20 nomes a acompanhar na música europeia. Em 2007, estreou-se discograficamente com Song of a New Heart, ao qual se seguiu, em 2010, Song of Distance. Em meados deste ano, Mazgani editou Common Ground, que conta com produção de John Parish e Mick Harvey. Em digressão com o guitarrista Sérgio Mendes, Mazgani dará o seu último concerto do ano no Teatro do Bairro, em Lisboa, dia 12, e o inédito fará parte do alinhamento.
O Livro - "Anna Karenina"
Mais do que um livro, é uma casa a que regresso sempre que preciso. Esta obra de Lev Tolstoi é um dos livros da minha vida.
O CD - “In The Wee Small Hours“

Este disco do Frank Sinatra é perfeito para nos aquecer o coração nestas noites frias. É uma pequena lareira que nos convida a aproximar, enchendo a casa de calor.
O Concerto -
Leonard Cohen
Felizmente, o grande poeta-cantor tem visitado o nosso país com frequência nos últimos anos, oferecendo-nos várias noites memoráveis. Quando se continua a correr os palcos aos 79 anos, a vida e a obra confundem-se. Diria que o Cohen se fez poema.
O Filme - “Vertigo“

Boa altura para revisitar os clássicos; ao escolher um, estamos a excluir todos os outros, mas arriscaria a dizer que este é o meu filme preferido do mestre Alfred Hitchcock.
O Museu - The Frick Collection

Um museu de silêncio no meio do turbilhão de Manhattan, Nova Iorque. Indispensável conviver alguns momentos com o arrebatador St. Francis in the Desert, de Giovanni Bellini.
O Restaurante - Ribeirinha do Sado

Aqui somos bem recebidos pelo excelente anfitrião, o Sr. Fernando, e a sua belíssima família, e podemos deliciar-nos com a melhor seleção de peixe do mundo. Avenida Luísa Todi, 586, Setúbal.
O Fim de semana – Alentejo
No inverno vou para o interior, para desfru­tar dos prazeres roubados ao frio; no verão fico-me pela costa alentejana.
A Viagem – Berlim

Por ser e querer ser muitas cidades, para todos os gostos e vontades. É uma cidade sem medo de existir, inspiradora para qualquer artista.

Palavras-chave

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras