Nas Bancas

Cinha Jardim perde dez quilos e recupera a linha: “Não tinha este peso há 12 anos”

Cinha Jardim fez a dieta Lev e perdeu dez quilos. Satisfeita com o que vê ao espelho, a antiga comentadora de televisão quer agora manter o peso.

Marta Mesquita
18 de janeiro de 2014, 10:00

Cinha Jardim, que fez 57 anos no passado dia 22 de dezembro, está em excelente forma física. A antiga comentadora televisiva perdeu dez quilos, recuperando a silhueta que não tinha há mais de 12 anos. Durante um cocktail de Natal na loja Marias, em Lisboa, Cinha conversou com a CARAS e partilhou o segredo da sua elegância.
– A Cinha está muito mais magra...
Cinha Jardim
– É verdade, estou muito mais magra. Nos últimos dois anos comecei a engordar, porque, por um lado, passei a viajar mais e nos hotéis come-se muito bem, por outro, quando estava em Lisboa passava muito tempo em casa. Mas sempre achei que seria fácil perder peso e por duas vezes fiz o tratamento do Dr. Tallon. Diminui o peso, mas depois voltei a comer o que queria e engordei. Enquanto tive mais seis ou sete quilos, confesso que não me preocupei muito, mas quando dei por mim com mais dez, fiquei preocupada. Aquele não era o meu corpo.
– E foi nesse momento que decidiu fazer dieta?
– Foi. Tentei fazer várias dietas, mas não conseguia perder peso. Até que me falaram da dieta Lev e fui lá. Confesso que não ia muito confiante, mas estava com força de vontade e quando meto uma coisa na cabeça, não desisto. Não queria continuar com aquele corpo que não era meu! Não me revia naquela imagem. Não estou com isto a dizer que quem engorda dez quilos está mal. Para mim é que não funcionava.
– E foi fácil seguir essa dieta ou foi um grande sacrifício?
– Cumpri à risca. E foi gratificante ver que estava a perder peso. Ao fim de um mês e meio a comer apenas os produtos da marca, comecei a ter uma alimentação normal e tenho conseguido manter o peso. Perdi dez quilos e 400 gramas em três meses.
– E agora, que já está na fase da manutenção do peso, como tem sido a sua dieta?
– Aprendi a comer e esforço-me para fechar a boca, porque  não quero que todo o sacrifício que fiz seja em vão. Claro que agora já como doces, que foi algo que não comi durante três meses. Mas como com moderação.
– Mas a Cinha é um ‘bom garfo’, não é?
– Adoro comer. E toda a vida comi o que quis e não engordava. Mas nos últimos anos o peso foi-se acumulando. Eu não posso viver sem uma feijoada ou um arroz de pato! Também ninguém me pode tirar o pão. Gosto mesmo de comer.
– Vale a pena fechar a boca para ver essa silhueta no espelho?
– Sim, adoro, porque já não tinha este peso há 12 anos! Quando uma pessoa quer, consegue. Chego sempre onde quero, porque tenho muita força de vontade.
– Mudando de assunto: este ano celebrou o seu aniversário e o Natal em Portugal, algo que já não acontecia há muito tempo, pois viajava sempre nesta altura. Acredito que também seja especial comemorar estas datas em casa, junto de toda a família?
–  Sim, sem dúvida. A minha filha Pimpinha pediu-me para passar cá o Natal e eu disse-lhe que não. Mas depois mudei de ideias. O meu neto Nico [Francisco, de três anos] também me pedia para ficar cá e fiquei. Sei que é importante as avós fazerem algumas das vontades aos netos. Mas estive há dias no México com o meu amigo Duarte Siopa e soube-me pela vida! Descansei, apanhei sol e organizei as ideias.
– E quais são os seus projetos para 2014?
– Vou viajar muito, porque continuo com os meus projetos lá fora com o Bill [o seu namorado].
– E assim até passa mais tempo com o seu namorado...
– Sim, é verdade. Conti­nua­mos muito bem.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras