Nas Bancas

Vida profissional de Julie Gayet prejudicada pela relação com o presidente francês

Depois de ter sido tornado público o caso amoroso da atriz com François Hollande, o governo francês anulou a nomeação de Julie Gayet como jurada de uma prestigiada instituição cultural

Redação CARAS
16 de janeiro de 2014, 18:21

O governo francês anulou a nomeação de Julie Gayet como jurada de uma prestigiada instituição cultural francesa em Roma, depois de ter sido tornado público o seu envolvimento amoroso com o presidente francês, François Hollande. O gabinete da ministra da Cultura, Aurélie Filippetti, afirmou que não oficializou a escolha da atriz como membro do júri da Villa Médicis, já que o decreto necessário não estava assinado.
O ministério acrescentou ainda que a nomeação de Gayet, de 41 anos, foi uma proposta do diretor da instituição francesa em Roma, Eric de Chassey, e que a atriz estava perfeitamente qualificada para a função. “Mas, dada a situação, não vou nomeá-la”, pode ler-se numa nota enviada à imprensa.
A notícia foi divulgada esta terça-feira, dia 14, pelo semanário satírico Le Canard Enchainé, sublinhando que a escolha foi feita no passado mês de dezembro.
De acordo com a rádio RTL, Gayet vai processar a revista Closer por ter publicado as fotos que mostram o chefe de Estado francês a sair de sua casa.
Recorde-se que nenhum dos envolvidos confirmou ou desmentiu o assunto. Na terça-feira, o presidente apenas pediu respeito pela sua vida privada durante uma conferência de imprensa. Entretanto, a sua companheira oficial, a jornalista Valérie Trierweiler, continua internada com sintomas de "profundo esgotamento" e os franceses questionam se esta ainda é primeira-dama.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras