Nas Bancas

Isabel Lima transmite os valores e a alegria desta época aos seus netos

A antiga professora de Matemática abriu as portas de sua casa e partilhou como vive o Natal ao lado dos netos, Madalena, Mariana, Rodrigo, Maria e Tomás.

Marta Mesquita
11 de janeiro de 2014, 18:00

No dia 1 de novembro, Isabel Lima começa a preparar a sua casa para a quadra natalícia. A árvore de Natal é montada na sala, o melhor serviço de mesa e as melhores toalhas saem do armário e o presépio é exposto na entrada, para receber aqueles que entram. “Adoro o Natal. Para mim, a preparação das festividades natalícias é muito mais do que o cumprimento de um feriado no calendário. E poder celebrar esta data com os meus netos é ainda mais especial”, conta a antiga professora de Matemática.
Separada há alguns meses de Carlos Moia, o empresário com quem esteve casada mais de 40 anos, e de quem tem três filhos, Sandra, Carlos e Miguel, Isabel vive uma fase de autodescoberta, na qual procura, acima de tudo, reencontrar a felicidade.
Foi ao lado de cinco dos seus seis netos, Mariana, de seis anos, Madalena, de oito, Maria, de 13, Rodrigo, de 13, e Tomás, de 14, que Isabel Lima partilhou com a CARAS como está a viver esta quadra festiva, num ano marcado por profundas mudanças pessoais.
– A Isabel não descurou nenhum aspeto na sua decoração de Natal...
Isabel Lima
– É verdade. Sempre vivi o Natal com muita intensidade e nunca perdi o entusiasmo por esta quadra. Gosto de ter uma casa cheia e no dia 1 de novembro faço toda a decoração de Natal e entro mesmo no espírito desta época. Para mim, o Natal é mesmo a festa em que se celebra o nascimento de Jesus. E é um momento especial para reunirmos a família, o que nem sempre é fácil, porque hoje em dia as pessoas têm pouco tempo. Além disso, nesta altura do ano, faço um balanço do ano que termina, agradeço o que vivi e formulo novos desejos.
– E conseguiu transmitir aos seus filhos, e agora aos seus netos, esses valores e a alegria com que vive esta época?
– Acho que sim. Eles também gostam muito desta época. E tento não cair no excesso de consumismo que se vive nesta altura. Só dou um presente a cada um dos meus netos.
– É uma avó presente na vida deles?
– Sim, pelo menos tento.  Sempre que se possibilita, gosto de almoçar com os meus netos, por exemplo. E eles gostam muito da comida da avó! Durante toda a minha vida fui professora de Matemática, e até há pouco tempo fui explicadora de um dos meus netos. Mas como ele começou a associar o vir para minha casa a ter explicações, deixei de dar! [risos]
– Gosta de ter esse papel de professora na vida deles? Dá-lhes muitas lições?
– Gosto. Durante muito tempo ensinei-lhes como estar à mesa, por exemplo. Não queria que fossem mal educados. E sempre que os vejo a fazer alguma coisa incorreta, chamo-lhes a atenção. A educação que dei aos meus filhos é a que dou aos meus netos. A diferença é que só estou com os meus netos nos bons momentos.
– A Isabel esteve casada mais de 40 anos e separou-se recentemente. É fácil começar uma nova vida depois de uma mudança tão grande?
– Acho que a felicidade está dentro de nós e temos de a procurar. Sou uma pessoa positiva e tento não ficar presa àquilo que não é tão bom. Sou alegre, divertida e, portanto, procuro sempre o lado bom da vida. Estou feliz, porque agora tenho companhia e antes andava sempre muito sozinha. E a nossa vida pode mudar a qualquer altura.
– E em qualquer idade...
– Sim. Podemos ser felizes em qualquer idade. Nunca devemos abdicar da felicidade.
– Quando decidiu separar-se teve o apoio da sua família?
– Sim, tive todo o apoio de que precisava. Foi preciso muita coragem, pelo menos é o que todas as minhas amigas me dizem! Foram 43 anos de casamento mais sete de namoro... Mas foi uma decisão tomada sem arrependimentos.

Palavras-chave

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras