Nas Bancas

Ana e Pedro Pulido Valente vivem época festiva no Castelo da CARAS

O administrador do Horto do Campo Grande esteve com a mulher, Ana, e as filhas, Rosarinho, de 24 anos, e Francisca, de 25, no Castelo da CARAS.

Marta Mesquita
25 de dezembro de 2013, 11:00

Ana e Pedro Pulido Valente iniciaram as festividades natalícias neste fim de semana que passaram ao lado das filhas, Rosarinho, de 24 anos, e Francisca, de 25, no Castelo da CARAS, no Crato. Como católicos que são, o administrador do Horto do Campo Grande e a mulher fazem questão de viver intensamente o Natal, celebrando acima de tudo o nascimento de Jesus Cristo e evitando o consumismo já tão associado a esta época do ano.
Numa conversa descontraída, Ana e Pedro Pulido Valente falaram orgulhosamente das filhas e partilharam como têm conseguido construir uma família feliz e muito unida.
– Durante esta produção, percebeu-se que gostam de celebrar o Natal...
Ana Pulido Valente – Para mim, o Natal é mesmo o nascimento de Cristo, que é celebrado em família. Como católica, até dou mais importância à Páscoa, que é uma época vivida sem aquele ambiente comercial à volta. Confesso que no Natal não é fácil evitar o consumismo e acabo sempre por comprar presentes para as minhas filhas. Mas damos muita importância à religiosidade desta época.
Pedro Pulido Valente – Eu, por exemplo, detesto dar ou receber presentes por obrigação e tenho pena que o Natal esteja tão associado a esta parte comercial.
– E conseguiram transmitir esses valores às vossas filhas?
Ana – Sim, foi facílimo, adquiriram esses valores pelo exemplo. A religião nunca foi imposta e sim transmitida.
– Estão casados há quase 30 anos. Qual é o segredo?
 – Penso que a nossa felicidade se deve à cumplicidade que existe entre nós os dois e à relação que temos com as nossas filhas.
Pedro – Acho que em tudo temos de ser resilientes. O casamento também é algo que tem de ser trabalhado.
– E é fácil ser o único homem lá de casa?
– Às vezes tenho de me desligar um bocadinho. As coisas têm resultado porque temos casas de banho separadas! [risos].
Ana – O Pedro é um pai cúmplice, mas sou eu que faço mais os programas com elas. Sou mãe-galinha e adoro andar com as minhas filhas ‘debaixo dos braços’. Mas o pai é um pilar para elas.
– As vossas filhas têm apenas um ano de diferença. Elas têm uma boa relação?
– São completamente diferentes uma da outra, mas são muitíssimo amigas. E isso para mim, como mãe, é muito gratificante. A Francisca é muito protetora e é mais discreta. A Rosarinho é mais extrovertida, mas é também mais insegura.
– O Pedro está há 26 anos no Horto do Campo Grande. Como é que mantém o entusiasmo?
– Comecei como diretor comercial e agora sou administrador e responsável pela área da comunicação. Sinto-me realizado com o que faço. Sempre gostei das relações-públicas e publi­cidade e gosto muito de contactar com as pessoas. Crio laços muito facilmente.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras