Nas Bancas

Carlos do Carmo encanta no CCB

O fadista comove plateia ao recordar 50 anos de carreira

Redação CARAS
8 de dezembro de 2013, 12:22

No ano em que comemora osseus 50 anos de carreira e depois de alguns espetáculos, Carlos do Carmoesgotou o Centro Cultural de Belém, num concerto partilhado com a OrquestraSinfónica Portuguesa e a harmónica de António Serrano. Durante quaseduas horas, muitos foram os temas recordados pelo fadista e por uma legião defãs de todas as gerações. “Estava muito nervoso, como sempre, mas bastantefeliz, pois todas as pessoas estavam numa sintonia de afetividade inesquecível.Às vezes não é bem a questão do aplauso que está em causa, mas sim a forma comoo silêncio influencia o modo como se ouve e como se deixa que as almas seliguem. Para mim, isso tem muito mais significado agora, até porque canto paraquatro gerações”, contou o fadista no final do espetáculo.
Nos bastidores, como tem feito ao longo de todo o seu casamento, Judite doCarmo revelou que é habitual ajudar a tranquilizar o marido antes dosespetáculos, pois ele ainda fica nervoso: “Não consigo estar na sala comouma mera espectadora e prefiro ficar nos bastidores. O Carlos fica sempre muitonervoso e eu também gosto de tranquilizá-lo. Gosto que ele fique sossegado,fale com pouca gente e certifico-me de que tudo corre de uma forma serena.Destes 50 anos, 49 são meus e sei que também faço parte deste sucesso.”
Camané, que em criança já escutava em casa as músicas de Carlos doCarmo, contou que, à semelhança de Amália Ro­drigues e AlfredoMarceneiro, o fadista faz parte das suas raízes como artista: “O Carlosé a grande referência viva do fado, da altura dos anos de ouro do fado. É umadas minhas bases e referências mais próximas. Ele tem uma capacidade de serenovar e reinventar a si próprio de uma forma fantástica. Está sempre asurpreender-nos e acho que o melhor ainda está para vir.”
António Costa, presidente da Câmara Municipal de Lisboa, estavaentusiasmado no fim do espetáculo: “Sou fã do Carlos e gostei muito doespetáculo. Gosto de fado, gosto muito dele e esta combinação com a orquestra ea harmónica mostrou a grande polivalência que o fado tem, mas também que oCarlos dá ao fado.” 

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras